CNI é favorável à criação de tributo sobre pagamentos eletrônicos

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A ideia de Paulo Guedes, Ministro da Economia, sobre a criação de um tributo sobre pagamentos eletrônicos, ganhou apoio da CNI.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

Em entrevista para o G1, Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria, se mostrou favorável à taxação.

“Acho que tem apoio da indústria, sim, se em contrapartida o governo ir retirando a contribuição previdenciária da folha”, afirmou.

O presidente da CNI esteve reunido, ao lado de outros líderes da Indústria, com o time capitaneado por Paulo Guedes na última sexta.

Segundo Andrade, o encontro foi produtivo e alguns detalhes sobre o tributo deixaram boa impressão.

“A ideia do ministro é criar o novo tributo e ir, aos poucos, desonerando a folha. Talvez começando com até um salário mínimo e meio, o que daria uma desoneração em torno de R$ 30 bilhões”, comentou.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

CNI quer PEC aprovada

O presidente da CNI pontuou que, apesar de o setor industrial ser favorável à criação do novo imposto, o mais importante mesmo é a aprovação da PEC que tramita na Câmara sobre a reforma tributária.

“A proposta do ministro Paulo Guedes é importante, mas nós apoiamos principalmente a PEC do [economista] Bernard Appy, em tramitação na Câmara, porque é mais ampla e vai garantir uma melhora para o ambiente de negócios no País”.

Paulo Guedes prometeu entregar ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e ao senador Davi Alcolumbre, líder da Casa, a primeira etapa de suas sugestões do governo para a reforma tributária.

O passo inicial, de acordo com o Ministro, é a criação do IVA, imposto que unificará as cobranças do PIS e do Cofins, criando a Contribuição sobre Bens e Serviços.

A criação do tributo sobre pagamentos eletrônicos, tão desejada por Guedes e, agora, apoiada pelo setor industrial, seria colocada em discussão em uma segunda etapa da reforma.

Planilha de ações: baixe e faça sua análise para investir

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.