CNI: confiança da indústria de construção tem maior queda desde março

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

Crédito: José Paulo Lacerda/CNI

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) da indústria de construção registrou forte contração em setembro, caindo 5 pontos em relação ao apurado em agosto, de acordo com dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Em agosto, o índice ficou em 54,7, a maior queda do índice desde março de 2021.

Vale lembrar que o índice varia de zero a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam confiança do setor de indústria e quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada é a confiança do empresariado. Quanto mais próximo de zero, menor a confiança.

Segundo a confederação, entre agosto e setembro, o índice de condições atuais da economia brasileira recuou de 51,3 pontos para 42,3 pontos. Ao ficar abaixo da linha divisória de 50 pontos, o índice reflete a transição de uma percepção positiva para uma percepção negativa da economia brasileira.

Já o índice de expectativas da economia brasileira também registrou uma forte queda, de 8 pontos, no entanto permanece acima da linha divisória de 50 pontos.

Conforme a CNI, o resultado de setembro foi marcado por uma deterioração da percepção das condições atuais e das expectativas sobre a economia brasileira. Ainda de acordo com a confederação, alinhadas à queda de confiança, as expectativas dos empresários da indústria da construção com relação às variáveis relacionadas à atividade também caíram, embora em menor magnitude

De acordo com o levantamento, as expectativas do nível de atividade, de novos empreendimentos, de compra de insumos e matérias-primas e do número de empregados recuaram, respectivamente, 1,3 ponto, 0,9 ponto, 0,8 ponto e 1,0 ponto. Com isso, esses índices ficaram, no mês de setembro, em 56,4 pontos, 55,4 pontos, 55,1 pontos e 53,4 pontos, respectivamente.