Cemig (CMIG4), C&A (CEAB3) e Randon (RAPT4) ingressam nas carteiras da Guide

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Facebook / Cemig

A Guide informa mudanças nas suas carteiras de ações e small caps para o mês de junho. Na de ações, apenas uma mudança, entrando Cemig (CMIG4) e saindo Weg (WEGE3). Na de smnall caps, entram C&A (CEAB3) e Randon (RAPT4) e saem Alupar (ALUP11) e Linx (LINX3).

A Guide mostrou um bom desempenho na carteira de ações para o mês de maio, conseguindo 9,9% de incremento, contra os 8,6% fechados do Ibovespa no período. Mesmo com queda no ano, ainda assim sua carteira está mais eficiente do que o Ibovespa: 16,4% negativos contra 25,1%.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

Nos últimos 12 meses, a Guide conseguiu uma valorização de 8,7% com suas indicações, contra uma queda 10,4% do índice de referência.

O mês foi positivo para os mercados ao redor do globo, mesmo em meio “à contínua propagação do coronavírus, aumentando o número de fatalidades e novos casos a cada dia; e ao grande número de empresas divulgando seus resultados referentes ao 1T20, com números já impactados pelo início da quarentena na segunda quinzena de março”.

“Maio apresentou um movimento positivo, sustentado pela reabertura gradual das principais economias mundiais; por programas de incentivo fiscal e monetário nas principais economias do globo, com destaque para o plano de estímulos Europeu; por dados positivos de recuperação vindos da China, com destaque para a indústria; e pela redução do risco político local, com a divulgação do vídeo da reunião ministerial do governo Bolsonaro trazendo poucas evidencias de interferência na Polícia Federal”, analisa a Guide.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.

Guide projeta junho

Para junho, a Guide espera um cenário de elevada volatilidade, com os desdobramentos da propagação do coronavírus sendo o principal foco dos investidores, com destaque para a reabertura gradual das atividades no Brasil e nas maiores potenciais globais.

“Outro ponto de atenção ficará com relação a cena política local, em meio à recente crise instaurada no Brasil, através de uma série de demissões ministeriais ocorridas nas últimas semanas e os atritos do presidente Bolsonaro com os governadores e também com os ministros do STF”, dizem os analistas da Guide.

“Para a carteira, realizamos somente uma troca, no sentido de buscar novas oportunidades de valorização. Nos desfizemos dos ativos de Weg, para dar entrada aos da Cemig (CMIG4)”, seguem.

Na visão da corretora, a troca “faz sentido pelo fato da companhia ser negociada a patamares atrativos, possibilidade de resgate as distribuidoras de energia pelo BNDES, e possível avanço no processo de privatização pelo governo de Minas”.

CMIG4 ainda pode ser beneficiada com as vendas das ações da Light e da participação da Taesa.

Small Caps

A Carteira Small Caps da Guide encerrou maio em alta, com performance de 7,89% acima do seu índice de referência (SMLL), de 5,07%.

No ano, como aconteceu com a carteira de ações, apesar de acumular negativo de 25,1%, ainda performou melhor do que o índice de referência, que ficou com menos 30,7%.

“A Via Varejo se manteve como principal destaque de alta no mês de maio”, notam os analistas. “A companhia divulgou seu balanço referente ao 1T20, e apesar do fechamento de diversas lojas físicas, seu resultado foi robusto, com boa projeção de crescimento, principalmente no segmento digital. A varejista também anunciou a aquisição da BanQi, que plataforma de conta digital da Airfox utilizada pela varejista desde 2019”.

A nova carteira

Para junho, a corretora ainda espera um cenário de elevada volatilidade, exatamente como na análise da sua carteira de ações.

“Para a carteira, optamos por retirar os ativos da Alupar e Linx para dar entrada aos da C&A e Randon. Acreditamos que com estas trocas, seremos capazes de capturar ganhos com ações mais descontadas e que podem se beneficiar com a reabertura gradual da economia, além de mantermos um exposição a companhia exportadoras em meio ao cenário de dólar ainda em patamares elevados”, afirma.