Cliente será indenizada por sumiço de dinheiro da poupança

Imagine você trabalhar duro para juntar um dinheirinho na poupança e do nada, some uma quantia de sua conta? Triste e revoltante, mas foi justamente o que aconteceu com uma cliente do Banco Santander de Santa Bárbara D’Oeste, em São Paulo.

Patrícia Auth
Patrícia Auth é jornalista formada pela Univali de Itajaí/SC. Trabalhou em impressos, como o Jornal de Santa Catarina, e também, como repórter na Rede Record e RBS TV. É casada, mãe da Lívia e adoradora de boa música e gastronomia.Na equipe EuQueroInvestir, é responsável pela produção de vídeos, e também escreve e edita artigos para o site.Entre em contato com a Patrícia pelo e-mail: patricia.auth@euqueroinvestir.com

Crédito: real, brazilian money, in the pocket of jeans

Segundo consta no processo, sem que a cliente tivesse conhecimento, foram feitos saques de sua poupança no total de R$ 1.050,00. Assim que tomou conhecimento do “sumiço” do dinheiro, a mulher pediu para que o banco tomasse providências. Porém, nada foi feito e ela decidiu procurar a Justiça.

Resultado:

[box type=”success” align=”” class=”” width=””]A 20ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o banco por danos morais e materiais. A indenização estipulada pela Justiça foi de R$ 9 mil.[/box]

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Uma pausa na notícia…

Para você descobrir qual é o melhor investimento para você.

[banner id=”teste-perfil”]

Indenização aumentou

Depois do julgamento de 1ª instância, em que foi definido o pagamento de uma indenização de R$ 3 mil, tanto a cliente quanto o banco recorreram. A cliente achava que merecia uma compensação maior. Já o Banco Santander, recorreu com a pretensão de diminuir a quantia paga.

Conforme o processo, como o banco não conseguiu provar que os saques foram feitos pela cliente, ele responderá pelo dano causado ao consumidor.

“Apontadas operações indevidas, que não foram feitas pela poupadora, é de responsabilidade da instituição financeira a indenização, em razão da falibilidade do sistema de segurança que implantou”, concluiu Correia Lima, desembargador e relator da apelação.

Levando em consideração não apenas o prejuízo financeiro, mas também o prejuízo emocional causado pela situação, a indenização foi aumentada de R$ 3 mil para R$ 9mil.

O Banco Santander disse por meio da assessoria de imprensa que, não manifesta em casos sob judice. Ou seja, não se manifesta enquanto a decisão não chegar ao departamento jurídico da empresa.