Cliente Private Banking: saiba como funciona este serviço personalizado

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

Você já ouviu falar de Private Banking? Este é um serviço individualizado feito por grandes bancos para clientes que possuem alta renda.

Para acessar o segmento é necessário ter no mínimo R$ 1 milhão investido. Mas, no mercado em geral, na prática, os clientes Private Banking têm R$ 3 milhões investidos. Ou seja, ele deve ser um Investidor Qualificado.

Os bancos criaram diversas nomenclaturas no intuito de dar um tratamento diferenciado aos seus maiores clientes: Prime, Stilo, Personalité, etc. Seguindo o mesmo conceito, os mais sofisticados recebem a alcunha de Private.

Os profissionais denominados Private Bankers são aqueles que atendem os clientes desse segmento.

As três segmentações bancárias para investimentos

De forma geral, os bancos classificam os clientes em três níveis: varejo, alta renda e Private Banking.

Vamos conhecer os três?

  • Clientes varejo: são o tipo mais comum de clientes. São aqueles que têm renda mensal inferior a R$ 8 mil e volume de investimentos menor do que R$ 100 mil. Há bancos que flexibilizam esses valores. O atendimento a esses clientes é feito nas agências comuns e não é feito de forma personalizada. O foco é oferecer os produtos financeiros disponíveis.
  • Clientes alta renda: este é o cliente meio-termo, entre o varejo e o Private Banking. São pessoas com renda mensal superior a R$ 8 mil, e patrimônio maior que R$ 100 mil. O atendimento pode ser feito em agências especializadas ou então por gerentes mais especializados, com menos filas e mais possibilidades.  Aqui os bancos já dão mais atenção ao relacionamento com o client0. Além disso, oferecem soluções financeiras mais adequadas para cada perfil de cliente e taxas de administração menores.
  • Clientes Private Banking: como vamos detalhar neste artigo, esses são os clientes queridinhos dos bancos e, por isso, têm atendimento e ofertas especiais. Devido à alta renda e o alto valor investido desses clientes, os bancos dão toda a atenção necessária a estas pessoas.

Mas quais as vantagens de ser um cliente Private Banking?

Clientes que tenham essa classificação recebem do banco a possibilidade de produtos de investimentos específicos e exclusivos e, assim, também com melhores remunerações.

Pelo tamanho de seu patrimônio, este tipo de investidor é tratado de forma diferenciada pelos bancos. Seja em agências próprias para estes clientes ou com serviços exclusivos.

A Anbima estabelece três principais vantagens que os bancos podem oferecer a estes clientes:

  • Planejamento fiscal, tributário e sucessório, que deve ser desempenhado por profissional tecnicamente capacitado para esse serviço.
  • Planejamento previdenciário e de seguros, que deve ser desempenhado em parceria com sociedade seguradora para a constituição de Fundos Previdenciários personalizados segundo as necessidades e o perfil de cada investidor, assim como análises e propostas de seguros, de forma geral.
  • Elaboração de relatórios de consolidação de investimentos detidos em outras instituições, que permitam uma análise crítica em relação às posições, concentração de ativos, risco do portfólio, entre outros aspectos.

O investidor conta também com uma plataforma aberta de investimentos. Ou seja, pode encontrar investimentos de diversos bancos dentro do seu banco, além de fundos de renomadas gestoras, também fora do próprio banco.

As taxas de serviços e manutenção de contas que hoje ainda são cobradas pelos grandes bancos, são isentas para os clientes Private Banking. Neste segmento, o lucro do banco vem das taxas de administração cobradas sobre a gestão do patrimônio ou então de juros sobre financiamentos.

Vale lembrar também que o segmento Private Banking serve para toda a família do investidor. Ou seja, se João, por exemplo, tem R$ 5 milhões aplicados, sua esposa Maria, e seus filhos também poderão ser clientes Private Banking.

Qual a função do Private Banker?

Quem faz todo atendimento personalizado aos seletos clientes deste segmento é o Private Banker.

Ele é um gestor de patrimônio altamente qualificado e experiente. Ou seja, é possui um grau mais elevado de conhecimento e atendimento do que um gerente normal.

É papel do Private Banker, por exemplo, oferecer as soluções diferenciadas para seus clientes, como planejamento patrimonial, gestão financeira, aposentadoria, soluções para manter e otimizar a liquidez do patrimônio, soluções internacionais, consultoria tributária, soluções para sucessão patrimonial, divisão de bens entre herdeiros, oferta de créditos, assistentes que cuidam das operações bancárias cotidianas, entre outros.

Ou seja, o Private Banker não se atenta somente à carteira de investimento do cliente, e sim diversos outros fatores que compõem seu patrimônio.

Assim, com o objetivo de manter a qualidade e a exclusividade, cada Private Banker costuma ter de 50 a 150 clientes em sua carteira.

Alguns bancos, inclusive, oferecem atendimento domiciliar, na própria empresa de seus clientes ou até em outras cidades.