Cielo (CIEL3) aponta reducão de 15% nas vendas do varejo em agosto

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Reprodução/ICVA/Cielo

A Cielo (CIEL3) divulgou nesta quinta-feira (17) que as vendas do setor de varejo registraram uma queda de 15,1% em agosto. Os dados descontam a inflação e são comparativos com o mesmo mês de 2019.

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, a queda do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) foi de 12,6%

Apesar do recuo na comparação com agosto do ano passado, esse é o quarto mês consecutivo de alta na comparação com o mês anterior. Os números mostram que, após o tombo no início da pandemia, os números passaram a melhorar. Em abril, a redução das vendas apurada pelo ICVA foi de 36,5%. Em maio passou a -30,5%; em junho ficou em -24,1% e em julho, -19,9%.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Com relação à inflação do varejo, tomando como base o IPCA, a variação de preços calculada pela Cielo foi de 2,9% em agosto, uma aceleração ante julho

Desempenho

Os setores que se destacaram em avanço das vendas em agosto foram os de material para construção e móveis, eletrodomésticos e departamentos. Os últimos apresentaram queda em julho após recuperação dos efeitos iniciais da pandemia.

O setor de serviços também registrou aceleração. Os segmentos de turismo e transporte e bares e restaurantes, apesar da forte queda registrada em relação ao ano anterior, demonstram aceleração na  retomada.  

Já o setor de bens não duráveis mostrou leve desaceleração em relação ao mês anterior, mas ainda é o menos afetado desde o início da crise sanitária.

“Vale notar que em agosto o varejo não só continuou o movimento de recuperação como acelerou esta trajetória”, afirma Gabriel Mariotto, superintendente-executivo de Inteligência da Cielo.

“A recuperação foi particularmente forte para os setores que vendem Bens Duráveis, mas mesmo o  grupo  de  setores  de  Serviços,  mais  prejudicado  pelas  medidas  de  distanciamento  social,  apresentou melhora nas vendas no mês passado”, acrescentou.

Retração contínua no Sudeste

Todas  as  regiões  apresentaram queda  nas  vendas  em  relação  a  agosto  de  2019.  Segundo o ICVA deflacionado com ajuste de calendário, a Região Sudeste apresentou a maior retração em agosto de 2020: -14,1%. Na sequência aparecem as regiões Sul (-11,9%), Nordeste (-11,7%), Centro-Oeste (-9,5%) e Norte (-1,5%).

O destaque no ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – com ajustes de calendário, foi a região Sudeste: (-12,4%). Em seguida aparecem: Sul (-8,6%), Nordeste (-8,1%) e Centro-Oeste (-6,1%). Apenas a região Norte apresentou variação positiva: 3,6%.