Cielo (CIEL3): conheça o perfil completo dessa empresa financeira

Ana Paula Schuster
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Cielo (CIEL3)

A Cielo (CIEL3) é uma empresa brasileira que presta serviços financeiros ao varejo. Assim, atua como responsável pelas transações com cartões de crédito ou débito. Ela é a líder na América Latina no setor de meios de pagamentos.

A companhia cobre 99% do território nacional, prestando seus serviços a mais de 1,6 milhões de clientes. Além disso, a empresa se encontra na bolsa de valores. Conheça neste artigo mais sobre a Cielo e como ela atua na B3.

Cielo (CIEL3): Conheça a empresa

A antiga Visanet Brasil, hoje chamada de Cielo (CIEL3), é uma empresa de tecnologia. Além disso, a mesma é responsável por serviços de pagamentos no varejo. Dessa forma, realizando os seguintes serviços como adquirente multibandeira:

  • Captura de dados;
  • Transmissão;
  • Liquidação em cartões de crédito ou débito.

Ela possui cerca de 1,6 milhões de clientes espalhados por 5.500 municípios brasileiros. Assim, é a atuação da empresa em 99% do Brasil, suportando cerca de 6 mil transações por segundo.

Controlada pelo Banco do Brasil e também pelo Bradesco, a Cielo é uma sociedade anônima. Ela possui o capital aberto, composto por ações ordinárias e com direito ao voto. É listada no segmento chamado de “Novo Mercado” na B3.

História da Cielo: quando a empresa surgiu

No ano de 1995, foi criada a Visanet, uma empresa de tecnologia e serviços financeiros. Tendo como seus criadores os bancos Bradesco, Real (Santander), Banco do Brasil e o Nacional.

A Visanet também tinha parceria com a empresa de cartões Visa Internacional. Além da afiliação com mais de 100 mil estabelecimentos em grande parte do território nacional.

Após uma OPA – Ofertas Públicas de Ações, a Visanet passa a se chamar Cielo. Fato esse que ocorreu no ano de 2009. Sendo então controlada apenas pelo Banco do Brasil e Bradesco.

Marcos importantes para a Cielo

Em 2010 a Cielo (CIEL3) começa a processar transações de outras bandeiras de cartão, além de Visa. Da mesma forma que passa a aceitar as empresas regionais, além de fechar parceria com a Dotz, maior programa de fidelização da América Latina.

Enxergando o potencial dos cartões de benefícios, a Cielo fecha, em 2011, contrato com a Cred-System. Dessa forma, passa a liberar as transações com Sodexo, Vale Refeição e Visa Vale. Conheça outros anos importantes para a empresa:

  • 2011: Estabelece laços com Cabal Vale, Bônus CBA, Sapore Benefícios, Verocheque e Elo;
  • 2011/2012: Captura 7,6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, equivalente a R$ 320,4 bilhões;
  • 2012: Começa a oferecer a opção de crediário em suas máquinas. No mesmo ano, lança um programa antifraude em parceira com a CyberSource;
  • 2012/2013: Chega ao patamar de 5 bilhões de transações financeiras no país, gerando um PIB de 8,4%. Nesse período, lança a Cielo Linkci, sistema para check-in e recomendação de estabelecimentos por meio do Facebook;
  • 2014: Começa a permitir pagamentos de forma eletrônica com cartão de crédito para estrangeiros. Assim, pode-se pagar com a moeda estrangeira em estabelecimentos brasileiros;
  • 2018: Bate o recorde de R$ 153 bilhões em maquininhas, apenas no primeiro trimestre. Desse número, R$ 90 bilhões foram gerados por cartões de crédito;
  • 2020: Mesmo com a pandemia, a Cielo esteve entre as líderes brasileiras de pagamentos. Além de resultados positivos em toda a América Latina, chegando a marca de 1 milhão de clientes ativos.

Como a Cielo (CIEL3) atua no mercado de ações

A Cielo atua como uma empresa de tecnologia e serviços financeiros. Além disso, a mesma tem suas ações CIEL3 negociadas na B3, possuindo as seguintes características:

  • Classificação de setor: Financeiro e serviços financeiros diversos;
  • Segmento: Novo mercado;
  • Alto nível de governança;
  • Tag Along: 100% On;
  • Free Float: 41,15%.

Onde negociar as ações CIEL3?

O ticker da Cielo é o CIEL3 e é negociado na bolsa de valores brasileira. Assim, os investimentos podem ser feitos por meio do home broker ou de corretoras.

A companhia possui apenas ações ordinárias ou On. Ou seja, dando aos titulares direito a votos nas assembleias. Além disso, todos os acionistas recebem dividendos, não importa se minoritários ou majoritários.

Estratégia da Cielo

O objetivo da empresa é inovar com as melhores tecnologias para a gestão de negócios de seus clientes. Veja quais são os pontos que a companhia foca em sua estratégia:

  • Liderança no mercado;
  • Buscar sempre por novas inovações e soluções tecnológicas para garantir que o negócio do cliente não pare nunca;
  • Um time que busca sempre entregar os melhores serviços aos usuários;
  • Entender cada cliente e suas necessidades e oferecer o que melhor se adequa;
  • Sempre garantir uma boa reputação e benefícios que garantem a fidelização.

Qual foi o desempenho da empresa no último balanço?

A Cielo (CIEL3) demonstrou resultados positivos no último balanço. Visto que, no quarto trimestre de 2020 a empresa teve um lucro de R$ 298,2 milhões. Desse modo, refletindo o bom controle de custos e redução de despesas operacionais.

De modo geral, a Cielo demonstrou diversas melhorias em comparação aos demais trimestres. Sendo alcançado o lucro líquido consolidado de R$ 490 milhões durante o ano de 2020.

Sua receita líquida chegou ao total de R$ 3,022 bilhões apenas no 4T2020. Ou seja, 4,9% maior que no 3T2020. Além da margem Ebitda, chegando a casa de 25,4%, com um total de R$768,2 milhões.

Valorização das ações: Cielo (CIEL3)

Com base no período de início de abril de 2020 a início de abril de 2021, as ações da Cielo (CIEL3) tiveram uma desvalorização de 7%. Segundo especialistas, esse momento negativo para os papéis é a perspectiva de que a empresa perca participação no mercado.

A Cielo vem retendo um fraco poder de lucro. Contudo, continua com uma baixa evolução no volume de pagamentos. Além de uma receita financeira que possui um menor impacto em relação ao pré-pagamento. Entretanto, os custos crescem gradativamente

Para alguns especialistas, caso o Banco do Brasil saia da Cielo, o valor das ações poderá ter alta. Visto que em fevereiro, após algumas notícias da saída do BB, os papéis tiveram uma leve valorização.