Cielo (CIEL3) aponta queda de 20% nas vendas do varejo em julho

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Reprodução

Dados divulgados pela Cielo (CIEL3) nesta segunda-feira (17) mostram que as vendas do varejo em julho tiveram uma queda de 19,9%. Os números descontam a inflação e são no comparativo com o mesmo mês de 2019. Apesar do recuo, este é o terceiro mês seguido de alta.

Em termos nominais, que espelha a receita de vendas observadas pelos varejistas, o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) aponta que a queda foi de 18,6%.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentou alta de 0,36% em julho. Ou seja, é o maior valor do índice para o mês de julho nos últimos quatro anos. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação foi de 2,31%.

Conheça planilha que irá ajudar nas escolhas, gestão e diversificação de suas ações

 

Transporte e vestuário são destaques, diz Cielo

O destaque positivo foi a aceleração de setores como transporte e vestuário. Mas o setor de móveis e eletrodomésticos apresentou desaceleração, após dois meses em recuperação por conta dos reflexos da pandemia.

“Os números sugerem que, em termos de impacto no comércio, o pior da crise já passou. Notamos, como destaque, alguma recuperação em setores de serviços, como alimentação em bares e restaurante e também turismo e transportes, ainda que continuem apresentando uma queda bem maior a média dos demais setores, já que foram mais afetados pelo isolamento social”, afirma o superintendente-executivo de Inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto.

Índice Cielo do Varejo Ampliado de julho

 

Maior retração no Sudeste

Segundo dados da Cielo, todas as regiões registraram queda nas vendas em relação a julho de 2019.

No ICVA deflacionado com ajuste de calendário, a região Sudeste apresentou a maior retração em julho de 2020: -22,9%. Na sequência aparecem as regiões Nordeste (-21,5%), Sul (-19,5%), Centro-Oeste (-15,8%) e Norte (-4,9%). Já o ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação –com ajustes de calendário, o destaque também foi a região Sudeste: (-22,4%).

No entanto, as regiões Norte, Nordeste e Sudeste demonstram maior recuperação em relação ao mês anterior. Já as regiões Centro-Oeste e Sul diminuíram seu ritmo de recuperação.