Chuvas em SP causaram prejuízo de R$ 110 milhões, prevê Fecomercio

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Gil Leonardi/Imprensa MG

A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP) estimou que as perdas causadas pelas fortes chuvas que castigam a região metropolitana de São Paulo desde ontem chegam a R$ 110 milhões. O número leva em conta os negócios não realizados nesta segunda-feira nas cidades de São Paulo, Osasco, Guarulhos e ABCD, segundo o jornal O Estado de S.Paulo, seja por falta de funcionários ou por movimento fraco de consumidores. É equivalente a 11% da receita de um dia das lojas instaladas nessas regiões e 0,40% do faturamento mensal.

O assessor econômico da Fecomércio-SP, Guilherme Dietze, explicou que os segmentos mais afetados pelas chuvas são supermercados, farmácias e de compras por impulso, como artigos de vestuário.

O volume de chuva que caiu sobre a capital paulista e região desde o começo do mês é equivalente a 98% de todo volume esperado para o mês de fevereiro. O temporal da madrugada foi considerado, pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), como o mais forte para um mês de fevereiro desde 1983. Os dois principais rios da cidade, o Tietê e o Pinheiros, transbordaram, interrompendo o trânsito em vários trechos das marginais, as importantes vias de tráfego da cidade.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir