China aplica meta de 95% para produção interna de carne suína

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Site G1

A China tem como objetivo produzir internamente 95% de sua carne suína, indicou um documento governamental com planos para o setor animal do país.

O comunicado foi divulgado no último domingo (27). As informações são da Reuters.

A meta é reconstruir rapidamente seu grande rebanho de porcos após uma grave epidemia de peste suína africana (PSA).

Confira principais Ações para investir em Outubro

Segurança alimentar

De acordo com a Reuters, a decisão vem em meio a uma ampliação no foco de Pequim à segurança alimentar.

O motivo seria a respeito dos surtos de coronavírus no exterior.

Houve impacto para os exportadores de alimentos, além das tensões com parceiros comerciais, gerando preocupações em relação à oferta.

O documento não mencionou um prazo para que a meta seja atingida.

Autossuficiência

Além de ser a maior consumidora de carne suína do mundo, a China por pouco alcançou a autossuficiência na proteína.

As importações corresponderam em média 1% da produção interna entre 2000 e 2018.

Entretanto, no primeiro semestre de 2020, a epidemia de peste suína africana fez a produção doméstica cair. Importações de mais de 2 milhões de toneladas atingiram quase 10% do consumo.

Segundo a Reuters, Pequim afirmou repetidamente que espera que sua criação de porcos volte aos níveis normais até o ano que vem.

Para isso, foi lançado uma série de medidas para encorajar os produtores a construir novas áreas de criação de animais.

Por fim, o governo também declarou metas para o fornecimento interno de 85% das carnes bovina e ovina e mais de 70% do leite consumido no país.

O país também permanece autossuficiente em ovos e carne de frango. 

Os objetivos não são muito diferentes dos níveis atuais, mas a meta para a carne bovina parece “difícil de ser atingida”, disse Pan Chenjun, analista sênior do Rabobank.