China aprova compra da Embraer pela Boeing

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Wikipedia

A Boeing, maior fabricante de aviões do mundo, está com o caminho livre para concretizar a compra do controle de aviação da Embraer.

O sinal verde foi dado nesta semana pelo órgão de defesa da concorrência da China, publicado no site do departamento antimonopólio da Administração Estatal de Regulação do Mercado da China e aparece na lista de transações da última terça-feira (19).

Qualificada como “aprovada sem condicionante”, a transação não foi revelada com maiores detalhes, mas consta como fechada dez dias antes do prazo final estipulado para seu fechamento, dia 9 de novembro.

A estratégia da Boeing em adquirir 80% da divisão comercial de aviação da Embraer tem como principal foco colocar a empresa em condições de igualdade de mercado com a Airbus no ramo de jatos com até 150 lugares.

A aprovação chinesa ao negócio foi anunciada pouco depois de a União Europeia ter adiado a decisão para 2020 e pedido novas documentações para ambas as empresas envolvidas na transação.