China acelerará envio da matéria-prima de vacina de covid-19, diz Maia

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (20), após reunião virtual com o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, que o atraso na liberação de insumos chineses para a produção da CoronaVac no Brasil se deve a razões técnicas e não políticas.

Maia destacou que o embaixador deixou claro que não há obstáculo diplomático para entrega do material para os imunizantes.

Segundo o presidente da Câmara, o governo chinês se comprometeu em trabalhar para acelerar a exportação dos insumos para a fabricação de vacinas contra a covid-19 no Brasil.

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

Maia: diálogo com a China quer atender o Brasil

“O governo chinês vai trabalhar para acelerar a chegada desses insumos. O diálogo com o governo de São Paulo e o Instituto Butantan vai fazer com que a gente consiga avançar o mais rapidamente possível. A decisão do governo chinês é atender a população brasileira”, destacou.

Rodrigo Maia disse ainda que, até o momento, a embaixada chinesa não comunicou nenhum contato do governo brasileiro para tratar do tema.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, negou hoje problema político com a China e diz que importação da Índia está “bem encaminhada”, de acordo com matéria publicada pelo serviço Broadcas, do Estadão.

Governo federal diz ser único “interlocutor oficial”

O governo federal divulgou nota afirmando que “trata com seriedade a questão do fornecimento de insumos para produção de vacinas” e que “é o único interlocutor oficial com o governo chinês”.

Segundo a Secretaria de Especial de Comunicação (Secom), ministros se reuniram hoje com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming.

A nota do governo foi divulgada após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se reunir com o embaixador chinês.

Já o governador de São Paulo, João Doria, disse que o escritório do Estado em Xangai tem atuado nas negociações.

*Com Agência Brasil