Chegam a R$ 850 milhões doações para minimizar impactos da Covid-19

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

As doações para minimizar os impactos do coronavírus chegaram a R$ 850 milhões em três semanas. O valor foi arrecadado por bancos, institutos, empresas e famílias. Os recursos vão para saúde e populações mais vulneráveis, informou a Folha de S. Paulo.

A arrecadação das doações ocorreu em três semanas. E o valor é considerado um recorde, segundo da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR).

“Mapeamos esse montante expressivo de recursos privados indo para iniciativas de combate aos efeitos do coronavírus. É a maior mobilização de doações de que se tem conhecimento nos últimos 50 anos “, afirma João Paulo Vergueiro, diretor-executivo da ABCR.

De acordo com a Folha, a Fundação Itaú Social e Instituto Unibanco lideram a lista, com R$ 150 milhões empenhados para ações diversas. Seguido do Instituto Votorantim, com uma doação de R$ 50 milhões, mesmo  anunciado pelo BTG Pactual.

Portanto, o restante é o somatório de uma série de iniciativas, como a União BR, presente em vários Estados. E fundos criados a partir da mobilização do terceiro setor e lideranças da sociedade civil para fazer frente à pandemia.