Centauro (CNTO3) lucra 33,1% a mais no balanço do quarto trimestre

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Wikipedia

A Centauro (CNTO3) reportou nesta quarta feira (18) um lucro líquido de R$ 163,6 milhões no quarto trimestre de 2019, um aumento de 33,1% em comparação com o mesmo período de 2018.

No ano, o lucro líquido somou R$ 309,7 milhões, o que representa uma elevação de 108,2%.

No quarto trimestre do ano passado, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 289,9 milhões, alta de 221,7%. A margem Ebtida atingiu 35,1%, incremento de 22,4 pontos percentuais.

Em 2019, o Ebtida totalizou R$ 673 milhões, um aumento de 158,1% sobre 2018. Já a margem Ebtida ficou em 26,4%, alta de 15 p.p.

O resultado financeiro da Centauro foi negativo em R$ 22,6 milhões no quarto trimestre, uma redução de 5,5% em relação as perdas do mesmo período do ano anterior. No ano, o resultado financeiro foi negativo em R$ 61,4 milhões, uma queda de 33,1%.

No quarto trimestre de 2019, as despesas totalizaram R$ 111,4 milhões, uma queda de 57,4%. No ano, as despesas somaram R$ 585,6 milhões, uma redução de 31,5% em relação a 2018.

Operacional

A receita líquida da Centauro atingiu a cifra de R$ 851,7 milhões, um aumento de 16,7. Em 2019, a receita líquida totalizou R$ 2,545 bilhões, crescimento de 11,9% em relação ao ano anterior.

A companhia atribui o crescimento da receita especialmente ao avanço do omnichannel e, em menor escala, pelo crescimento do marketplace. O aumento das vendas via estoque estendido e o desempenho das lojas G5 reformadas e inauguradas também contribuíram para o resultado.

No último trimestre, o lucro bruto foi de R$ 410,4 milhões, um incremento de 15,8% em relação ao trimestre de 2018. No ano, o lucro bruto somou R$ 1,259 bilhão, alta de 12,8%.

A margem bruta no trimestre atingiu 48,2%, redução de 0,4 p.p. No ano, a margem bruta ficou em 49,4%, elevação de 0,4 p.p.

O same store sales (SSS, na sigla em inglês), que representa quanto as vendas aumentaram nas mesmas lojas em relação ao período anterior, foi de 12,5%, o que reflete uma queda de 2 p.p em comparação com o quarto trimestre de 2018. No ano, o SSS atingiu 8,9%, uma baixa de 6,1 p.p.

Investimentos

Os investimentos da Centauro somaram R$ 79,7 milhões no último trimestre de 2019, uma elevação de 185% em comparação com o mesmo período de 2018. No ano, os aportes totalizaram R$ 159,4 milhões em 2019, alta de 62,7%.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Os aportes foram destinados principalmente a abertura de novas lojas e reformas, somente no quarto trimestre do ano passado, a companhia finalizou o projeto de 16 lojas G5, entre aberturas e reformas.

Dívida

A dívida líquida ajustada da Centauro terminou o ano passado em R$ 136,4 milhões, uma queda de 81,8%.

Enquanto isso, a alavancagem financeira em 2019, medida pela relação dívida liquida ajustada e Ebtida, ficou em 0,3 vez, o que representa uma redução em relação ao final de 2018 quando era 2,9 vezes.

A companhia em nota afirma que “nunca esteve tão capitalizada” com praticamente nenhuma dívida bancária e quase R$700 milhões de liquidez incluindo a disponibilidade de antecipações de recebíveis. Além disso, os créditos de PIS/Cofins permitem um reforço de caixa adicional.