Cenário positivo sustentado por expectativas com o BCE e aceno da China

Mesmo com ceticismo dos investidores em relação às negociações comerciais, o gesto chinês de isentar algumas categorias de produtos de suas tarifas, animou os mercados.

Guilherme Paulo
Eu Quero InvestirColaborador do

Crédito: shutterstock

Mercado Europeu

Em dia de poucas e fracas notícias, a expectativa esta em relação a divulgação das medidas vindas do BCE, que poderão estimular a economia da zona do euro. No início da manhã, a noticia da China de que haverá isenções para alguns produtos americanos trouxe um alívio, pela possível trégua na trade war, e levou os índices a alcançarem a máxima em 6 semanas.

Com exceção da Espanha, as bolsas europeias fecharam em alta. No país, os partidos de esquerda têm dificuldades para montar coalizão que sustente o governo espanhol. Sem isso, haverá eleição em 10 de novembro.

Alemanha | DAX [+0,75%]

Londres | FTSE 100 [+0,90%]

França | CAC 40 [+0,44%]

Zona do euro | Euro Stoxx 50 [+0,51%]

Itália | FTSE MIB [+0,12%]

EUR/USD [-0,42%] | € 1,0997

Bolsas Norte-americanas

As bolsas dos EUA abriram o pregão em leve alta nesta manhã, e ampliaram os ganhos durante o dia. O Dow Jones alcançou os 27 mil pontos.

Os investidores aguardam as medidas do BCE e do FED, incluindo corte na taxa de juros para impulsionar a economia.

Dow Jones 30 [+0,36%] | 27.005 pontos

S&P 500 [+0,40%] | 2.9991 pontos

Nasdaq [+0,76%] | 8.145 pontos

VIX [-3,09%]

Commodities

Mesmo com a queda do estoque do petróleo nos EUA, os preços não reagiram e, ao contrário, estão em forte desvalorização.

Possibilidade de Trump flexibilizar sanções contra o Irã é principal peso sobre o preço.

Barril WTI [-2,00%] | US$ 56,25
Barril Brent [-1,89%] | US$ 61,20
Ouro US$ [+0,23%] | US$ 1.502,75

Mercado Brasileiro

Varejo e setor imobiliário puxam as altas. Desempenho fracos dos bancos é um misto de realização de lucros recentes e apreensão com proposta do governo de recriar a CPMF.

Na máxima o índice chegou a ultrapassar os 104 mil pontos. O Dólar segue com baixa consistente frente o Real.

Ibovespa [+0,42%] | 103.467 pontos
Dólar [-0,54%] | R$ 4,057