Cemig (CMIG4): companhia corta investimento em 13% e adia venda de ativos

Osni Alves
Jornalista | osni.alves@euqueroinvestir.com

Crédito: Divulgação

Companhia mineira de energia, a Cemig (CMIG4) cortará 13% dos investimentos previstos para este ano, ou seja, R$ 266 milhões de R$ 1,75 bilhão.

A medida é por conta dos impactos do  coronavírus na economia, bem como nas operações da estatal, e visa preservar caixa.

Os executivos da Cemig conversaram com analistas e jornalistas via teleconferência nesta segunda-feira (18). Na última sexta (15), a empresa divulgou seus resultados para o primeiro trimestre de 2020.

Eles elencaram incertezas quanto a propagação do vírus e seus efeitos sobre a economia, e também os efeitos deste sobre o plano de venda de ativos da companhia.

Isso porque a estatal tenta se livrar de negócios não essenciais para reduzir o endividamento.

Diretor-financeiro, Leonardo George de Magalhães disse que a empresa entende que não é o momento adequado para falar de alienação de ativos nesse ambiente, apesar de a companhia manter seu programa de desinvestimentos.

Conforme o executivo, a Cemig pretende reduzir exposição cambial, após ter registrado perdas no primeiro trimestre devido aos impactos da dívida em moeda estrangeira.

Para ele, o momento de estresse nos mercados exige “parcimônia” nesse movimento, e que “a Cemig está atenta a essa questão e, passada a pandemia, vai tomar todas as ações necessárias para reduzir sua exposição cambial.”

Veja o desempenho da CMIG4 na Bolsa:

Fonte: tradingview.