CCR (CCRO3) tem redução de 4,8% de tráfego consolidado na última semana

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Facebook / CCR

A CCR (CCRO3) divulgou nesta sexta-feira (10) as informações sobre o tráfego em seus modais de transporte e houve uma redução de 4,8% em todas as suas rodovias na semana de 3 a 9 de julho de 2020, em relação ao mesmo período de 2019.

Tem sido uma constante durante todo o período de isolamento social, como tentativa de conter o avanço do novo coronavírus.

Entretanto, com o isolamento não estimulado por nenhuma esfera de governo, nem federal, nem estadual, nem municipal, o transporte comercial continua crescendo.

No período, houve aumento de 12,6% em veículos equivalentes comerciais, contra 24,4% de veículos de passeio, o que resultou numa queda de 4,8% no total da semana, em comparação com a mesma semana do ano passado.

No acumulado do ano, a queda é de 6,5%, em comparação com o período equivalente de 1º de janeiro a 9 de julho de 2019.

Principais estradas da CCR

As importantes estradas do sistema AutoBan (Anhanguera e Bandeirantes, que ligam a capital paulista ao interior) tiveram queda de 8,4%, sendo menos 32,81% em veículos de passeio e mais 16,1% em veículos comerciais.

No acumulado do ano, a queda é de 12,6%, com apenas 2,0% de aumento dos comerciais e queda de 28,0% dos de passeio.

Já na estrada mais importante do país, a NovaDutra, que une São Paulo e Rio de Janeiro, a queda foi de 12,5% e nem os veículos comerciais tiveram alta – queda de 0,2%.

Os veículos de passeio circularam 32,3% em menor quantidade.

A queda no ano é de 13,8%, sendo queda de 2,0% nos veículos comerciais e de 31,7% dos de passeio que passaram pelos pedágios da rodovia.

Aeroportos e mobilidade urbana

O modal mais afetado pela pandemia do novo coronavírus foi de fato o aéreo.

No caso da CCR, a empresa administra o aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, Minas Gerais, a partir da BH Airport.

O recuo na semana, em relação à mesma semana de 2019, foi de 90,8%. No acumulado do ano, a queda é de 52,6%.

Na área de mobilidade urbana, a empresa cuida de duas linhas de metrô de São Paulo, além do metrô de Salvador-Lauro de Freitas, as Barcas Rio-Niterói e o VLT carioca.

Com esses ativos, a CCR viu cair a movimentação em 57,6% na semana analisada. No ano, a perda acumulada é de 40,6%.