CCEE libera terceira parcela da Conta COVID para distribuidoras

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Site Expansaors.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) realizou nesta segunda-feira (14) o terceiro repasse do empréstimo da Conta COVID para as distribuidoras impactadas pelo isolamento social.

A parcela, de R$ 890,5 milhões, considera os valores dos termos de adesão para o período e os montantes remanescentes das transferências anteriores.

Repasses

Ao todo, a CCEE já repassou R$ 13 bilhões às companhias que aderiram à medida, o que corresponde a 88% do total da operação que será direcionado até janeiro de 2021.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Por apresentar pendência na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) permanece sem receber os montantes contratados pela Conta COVID.

Saldo remanescente

Este fator, junto com a declaração de ativos pelas distribuidoras inferior aos que constam nos termos de adesão, provoca o acúmulo R$ 461 milhões de saldo remanescente para o próximo mês. 

Dezessete empresas já receberam todo o previsto em seus termos de adesão: Amazonas, CEAL, Celesc (CLSC4), CERES, Copel (CPLE6), CPFL Piratininga, Demei, DME, EDP ES, EDP SP, Eletroacre, Enel SP, Energisa MG, Energia NF, Energisa SE, Energisa SS e Mux.

A Conta COVID foi financiada por um pool de 16 instituições financeiras lideradas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sendo o Bradesco o gestor da operação.

A composição dos aportes é de 29% dos recursos oriundos de bancos públicos e de 71% de instituições privadas. O custo da operação será de CDI + 3,79%.