CCEE libera terceira parcela da Conta COVID para distribuidoras

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Site Expansaors.

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) realizou nesta segunda-feira (14) o terceiro repasse do empréstimo da Conta COVID para as distribuidoras impactadas pelo isolamento social.

A parcela, de R$ 890,5 milhões, considera os valores dos termos de adesão para o período e os montantes remanescentes das transferências anteriores.

Repasses

Ao todo, a CCEE já repassou R$ 13 bilhões às companhias que aderiram à medida, o que corresponde a 88% do total da operação que será direcionado até janeiro de 2021.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Por apresentar pendência na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) permanece sem receber os montantes contratados pela Conta COVID.

Saldo remanescente

Este fator, junto com a declaração de ativos pelas distribuidoras inferior aos que constam nos termos de adesão, provoca o acúmulo R$ 461 milhões de saldo remanescente para o próximo mês. 

Dezessete empresas já receberam todo o previsto em seus termos de adesão: Amazonas, CEAL, Celesc (CLSC4), CERES, Copel (CPLE6), CPFL Piratininga, Demei, DME, EDP ES, EDP SP, Eletroacre, Enel SP, Energisa MG, Energia NF, Energisa SE, Energisa SS e Mux.

A Conta COVID foi financiada por um pool de 16 instituições financeiras lideradas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sendo o Bradesco o gestor da operação.

A composição dos aportes é de 29% dos recursos oriundos de bancos públicos e de 71% de instituições privadas. O custo da operação será de CDI + 3,79%.