Debêntures

É relativamente fácil explicar o que são os investimentos em Debêntures, podemos dizer que elas são um empréstimo que você faz para uma empresa não-financeira, como por exemplo a Vale (antiga Vale do Rio Doce).

Eles funcionam como um CDB, que já estudamos neste artigo. Um CDB nada mais é do que um empréstimo feito a um banco pelo investidor, com uma promessa de juros sobre o mesmo. A Debênture também é um empréstimo, mas para uma empresa não-financeira, ou seja, que não é um Banco.

As formas de rentabilidade são bem variadas e dependem muito da empresa que lança as debêntures (assim como os CDBs dependem dos Bancos).

Normalmente a rentabilidade tem uma parte Fixa e outra atrelada a um índice de inflação, como o IPCA.
O comportamento das Debêntures é muito parecido com o comportamento dos Títulos do Tesouro do tipo Tesouro IPCA+( NTN-B Principal).

Diferente de outros investimentos de Renda Fixa (Poupança, CDB, LCI, LCA, LC e LH) as Debêntures não tem a garantia do FGC.

Isto é um ponto desfavorável das Debêntures.

Elas representam um empréstimo para uma empresa não-financeira, como uma “confissão” de dívida de uma empresa.
Da mesma forma que um CDB é um empréstimo que você faz para um Banco.

Muitas das empresas que emitem debêntures são até maiores que os tradicionais bancos comerciais onde estamos acostumados a depositar o nosso dinheiro sem sentir insegurança.

Para você ter uma ideia, uma empresa como a Vale é muito maior do que um grande banco como Bradesco por exemplo.

Outras vezes você tem a dívida (da debênture) alienada a um bem da empresa ou a uma garantia bancária, o que confere ainda mais segurança.