Casa Civil coordena plano de recuperação econômica para o Brasil

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Casa Civil Walter Braga Netto será o responsável por centralizar o plano de retomada econômica que o governo federal está preparando para quando a pandemia de coronavírus terminar.

O ministro esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro, presidentes de bancos públicos, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e alguns outros ministros nesta quarta-feira para dar início ao “Programa Pró-Brasil”.

Curiosamente, de acordo com informações do Estadão/Broadcast, o Ministério da Economia, sob comando de Paulo Guedes, ainda não foi envolvido no projeto.

Braga Netto terá como co-líder do projeto o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que já teria até uma lista de obras prioritárias para serem tocadas com o dinheiro da União.

Entre elas estariam rodovias, ferrovias, residências e outras obras de infraestrutura que, na visão do governo, ajudariam a gerar emprego e renda no curto prazo e alavancar o potencial de crescimento da economia no longo prazo.

Detalhes

Maiores detalhes do plano serão divulgados dentro de 90 dias, de acordo com reportagem da Rede Record. Nesse tempo, Braga Netto ouvirá sugestões dos setores mais diversos.

No governo, as pastas de Desenvolvimento Regional, Infraestrutura, Economia, Ciência e Tecnologia já têm propostas.

Ipea e Fiesp são exemplos de instituições que podem ajudar na constituição do programa. Investimentos em Infraestrutura para gerar empregos e ajudar no escoamento da safra estão entre as medidas estudadas.

Competências do grupo

O Programa Pró-Brasil já definiu quais serão as competências dos grupos de trabalho, que terá caráter plurianual e, de acordo com Braga Netto, será algo “para uns 30 anos”.

Os defensores do plano acreditam que é possível ter um desempenho parecido com o dos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial, o chamado “Plano Marshall”.

O conjunto de medidas lançado à época lançou as bases para três décadas de crescimento sustentado e, nesse período, o PIB cresceu menos do que a dívida somente em dois anos.

As competências do grupo de trabalho do Plano Pró-Brasil seriam as seguintes:

  • propor ações estruturantes e atos normativos para a retomada das atividades afetadas pela covid-19;
  • articular com entes federativos e privados, bem como com entidades sem fins lucrativos, propostas de ações coordenadas para a retomada das mencionadas atividades;
  • propor medidas na área de infraestrutura com foco em obras públicas de responsabilidade da União e parcerias com o setor privado;
  • recomendar medidas que garantam a cadeia de suprimentos estratégicos e que aliviem as disparidades regionais causadas pelos impactos econômicos e sociais da covid-19;
  • sugerir diretrizes para a destinação de emendas parlamentares por meio de articulação com o Congresso Nacional.

Doria divulga plano para reabrir atividades econômicas a partir do dia 11 de maio