Carol Dias: “Está mais do que na hora do brasileiro aprender a investir”

Vanessa Araujo
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Money Week

A Money Week, evento online e gratuito da EQI Investimentos, segue até sexta-feira (14), recebendo grandes nomes do mundo dos investimentos. 

Nesta quinta-feira foi a vez da Carol Dias, ex-panicat, que hoje é educadora financeira e influenciadora digital – uma das referências atuais quando o assunto é finanças pessoais – falar sobre os investimentos para 2022.

“Está mais do que na hora do brasileiro ter uma educação financeira e investir”, define a palestrante.

“Vimos que os anos de 2020 e 2021 foram muito tensos por conta da pandemia. Mas, isso fez com que os brasileiros se preocupassem em investir seu dinheiro da melhor forma”, avalia.

Então, quais serão os passos para os melhores investimentos em 2022? 

Confira abaixo os principais pontos apresentados pela palestrante.

Carol Dias: qual o cenário para os investimentos em 2022?

“Dentro de um cenário global, temos as variantes da Covid-19, como a Ômicron, que estão causando impactos na ocupação dos hospitais e na Bolsa de Valores. Mas, na minha opinião, nós estamos protegidos, pois ao contrário do que vimos em 2020, ano em que não sabíamos nada sobre a pandemia, isto não será um ponto crítico que poderia fazer a Bolsa desabar novamente. Isso aconteceria somente em um cenário muito drástico”, comenta a educadora. 

“Já no exterior, precisamos ficar atentos aos países que não são a favor da vacina”, alerta.

Carol Dias: impacto do dólar e as taxas de juros

“Os investidores devem acompanhar a taxa de juros dos Estados Unidos e dos outros países, já que os EUA imprimiram muito dinheiro para se protegerem da pandemia, e isso trouxe impactos à moeda. Já aqui no Brasil, tivemos o aumento da Taxa Selic na tentativa de conter a inflação – que hoje vemos em 10%. Isso mudou um pouco a cabeça dos investidores. Além disso, os brasileiros terão pela frente um ano eleitoral presidencial, o que traz oscilações e incertezas para os investidores”, diz ela.

Carol Dias: como investir em 2022?

“O primeiro ponto é começar a investir. Segundo uma notícia de 5 de janeiro, 70% da classe média ainda investe na poupançaEstá na hora de mudar essa realidade. O brasileiro deve começar a cortar gastos, equilibrar as contas pessoais, criar novas oportunidades de gerar renda e investir”, explica. 

Mas, para ela, de jeito nenhum a poupança deve ser o foco. “Para mim, a poupança não deve mais ser considerada como um investimento, pois tem um rendimento muito pequeno que ‘apanha’ da inflação. Quem deixa o dinheiro na poupança, simplesmente, não está ganhando dinheiro, além de estar perdendo o seu poder de compra”, resume.

Para Carol, está na hora do brasileiro entender que existem corretoras para ajudar a investir em novos produtos. “As pessoas que ainda têm medo de investir procuram a poupança para ter uma ‘suposta’ segurança”, o que não é verdade, enfatiza. 

Contudo, para ela, “está na hora do brasileiro correr riscos, afinal, não tem como evoluir nos investimentos sem assumir alguns riscos”.

Carol Dias: os primeiros passos para se tornar um investidor 

O primeiro passo para ser um bom investidor, ele ensina, é entender que a poupança não é mais um bom investimento diante do aumento da taxa de juros e da inflação.

O segundo passo é ter uma reserva de emergência. Mas, não é para colocar todo o dinheiro em criptomoedas ou Bolsa de Valores, pois esses são investimentos de renda variável, que podem oscilar. 

A reserva de emergência deve ser colocada na renda fixa, independentemente da taxa de juros. 

“Eu, Carol, invisto no Tesouro Selic. Esse investimento funciona como um empréstimo do dinheiro para o governo federal que faz obras de infraestrutura, devolvendo o dinheiro aos investidores com juros”, esclarece. 

O Tesouro Direto é um programa do governo federal, considerado o investimento mais seguro do país. “O Tesouro Selic é um tipo de título que nós, investidores, estudamos para a reserva de emergência”, diz. E complementa: “Mesmo que o rendimento seja baixo, o importante aqui é focar em uma proteção que cubra as despesas por, pelo menos, três ou quatro meses. Já para quem é autônomo, essa reserva deve ser de, no mínimo, o equivalente à cobertura de seis meses de gastos. Para quem é contratado por CLT, essa reserva pode ser de quatro a seis meses”. 

Além do Tesouro Direto, os CDBs de liquidez diária também são bons investimentos para a reserva de emergência. 

Carol Dias: os investimentos em renda fixa mais atrativos

Para Carol, os destaques ficam para os investimentos que estão atrelados ao IPCA (inflação): os CDBs, LCIs, que oferecem boas taxas pré-acordadas + o IPCA. 

“Acredito que esses produtos estão interessantes hoje, mas não vejo esse mesmo cenário no longo prazo, além de dois ou três anos”, aponta.

Carol Dias: é hora de investir na Bolsa de Valores?

Para quem já tem sua reserva de emergência e está com dinheiro sobrando, ela diz que é hora de investir na bolsa. 

“Na minha visão, a bolsa está baratíssima. Temos empresas brasileiras apresentando bons lucros há quatro, cinco anos, com bons indicadores que estão com (ações) baratas perante ao que elas valem. Mas, que fique claro que investir na bolsa é para quem tem caixa. Jamais deve-se tirar da reserva de emergência e jamais deve-se fazer empréstimos com esse objetivo. O investidor da bolsa pensa sempre no longo prazo. Não se compra o preço da ação, mas sim, o valor da empresa. Por exemplo, há empresas que estão sendo ‘castigadas’ agora, mas que são excelentes empresas”, ensina. 

Carol Dias: quais os setores mais positivos?

“Na minha visão, são os bancos, que se favorecem com o aumento da taxa de juros por causa dos empréstimos. E, também, as seguradoras e as elétricas, que oferecem um serviço que todos precisam”.

Como ficam os Fundos Imobiliários?

“Na minha visão, os Fundos Imobiliários estão baratos. Esses investimentos sofreram com a pandemia, mas os fundos de shoppings e galpões serão boas opções. Isso porque vamos ver muitas empresas do varejo precisando de galpão. 

Também acredito nos fundos de lajes com bons inquilinos, que estão posicionados em ótimos lugares como Faria Lima e Berrini”.

Carol Dias: perfil de investidores em 2022 

“Antes de começar a investir, é preciso observar o perfil investidor de cada um. Eu, por exemplo, invisto hoje 80% na renda variável em fundos, criptomoedas e bolsa”, ela conta. 

Já as pessoas mais conservadoras devem manter o dinheiro na renda fixa, começando a olhar para a renda variável com parcimônia.

Carol Dias: é hora de sair da Bolsa de Valores em 2022?

“De jeito nenhum. O bom investidor está agora comprando. Afinal, é na hora em que as pessoas saem que nós entramos. Se os estrangeiros estão fazendo isso, porque nós, brasileiros, não investiríamos na nossa própria bolsa?”, ela pergunta.

Carol Dias: como entrar na Bolsa de Valores?

O primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora que seja conhecida e que ofereça taxa zero para os iniciantes. 

Depois, é preciso procurar por empresas mais perenes e seguras, que operem com lucro, como bancos, elétricas e saneamento, por exemplo. 

Os Fundos Imobiliários, que também fazem parte da bolsa, principalmente, os de galpões logísticos bem localizados também são boas apostas. Além dos fundos de shoppings e os fundos de lajes com bons inquilinos. 

“Lembrando que Bolsa não é um jogo. Tem que entrar sabendo que é um investimento de longo prazo. Além disso, é preciso avaliar os indicadores das empresas antes de começar a investir”, ressalta.

Carol Dias: investimentos no exterior

“Cerca de 23% do meu patrimônio está no exterior. O investimento em dólar é muito mais forte que na nossa moeda. Além disso, as empresas lá fora são muito consolidadas, com caixa. E, acima de tudo, entregam dividendos em dólar”, ela conta. 

Empresas como Google, Microsoft, Apple, Disney, companhias de telefonia, Coca-Cola, além das empresas ligadas ao Metaverso como Nike, Adidas, Facebook, Qualcomm também devem estar no radar dos investidores em 2022.

“Também acredito nos ETFs, que são fundos de investimento dentro de uma ‘cesta’ formada por boas empresas que pagam dividendos em dólar”. 

Carol Dias: investindo em Criptomoedas

“É preciso começar com cautela. Essa é uma renda muito volátil, por isso, não se deve ser imediatista e ter ganância. Além disso, como educadora financeira, faço um alerta a respeito dos investimentos considerados milagrosos. Ganhar dinheiro é algo que surge a partir do trabalho e isso deve ser potencializado em investimentos reais”, diz.

“Vejo as criptomoedas com um futuro promissor, mas nem todas são confiáveis. É preciso estudá-las. Existem projetos que, na minha opinião, são furados. Para mim, as melhores são Bitcoin e Ethereum. Também acredito nos NFTs, que são exclusivos e podem ser vendidos pelo valor que o investidor quiser”.

Carol Dias: como investir melhor em 2022?

“Em 2022, devemos investir como sempre fizemos, sem depender de fatores externos, como a política. O bom investidor sempre sabe fazer o dinheiro trabalhar, diversificando a carteira e alocando bons ativos com visão de longo prazo”.

Carol Dias: o valor do conhecimento

“O bom investidor é também um bom estudante. Quem quer começar deve fazer bons cursos, se necessário. Além de acompanhar boas redes sociais. Outra dica para se tornar um bom investidor é fazer investimentos com segurança. O mais importante é: comece hoje!”. 

Carol Dias: “para quem investe, o futuro agradece”

“Imagine como você quer viver no futuro. Dinheiro é algo necessário, temos que falar sobre isso. O Brasil é muito promissor e é hora do brasileiro aprender a fazer uma reserva de emergência e saber administrar contas e gastos. É hora de planejar as finanças pessoais e começar a investir hoje mesmo”, finaliza.