Caoa mira parceria com chineses para construir fábrica após desistir da Ford

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução

O grupo Caoa, que recentemente anunciou ter desistido de investir na compra das instalações da Ford, em São Bernardo do Campo, não tirou da cabeça a ideia de ter uma fábrica no Brasil.

Fontes do setor automotivo indicam que a empresa abriu conversas com três empresas chinesas e que uma delas manifestou interesse em formar parceria.

A ideia da Caoa, ao lado do investidor chinês, ainda sem nome revelado, seria construir uma fábrica em São Paulo, com investimento previsto de até R$ 2 bilhões no projeto.

Carlos Alberto de Oliveira Andrade, empresário que comanda a Caoa, adiantou ainda que o grupo brasileiro seria majoritário no negócio, ficando com 51% da parceria, e que os mercados atingidos seriam os de automóveis de passeio e caminhões.

Histórico vencedor

A Caoa está no ramo há mais de 40 anos e tem em sua História, além de uma parceria com a Ford, fatos interessantes.

Foi ela a empresa a abrir as portas para as importações de veículos da marca Renault e, no início dos anos 2000, tornou-se responsável pelo crescimento da marca sul-coreana Hyundai no País, com direito à abertura de uma fábrica da marca em Goiás.

A aposta mais recente da Caoa foi em 2017, ao firmar uma parceria com a chinesa Chery, agora bastante popular no gosto dos consumidores brasileiros.