Camil (CAML3): lucro líquido sobe 119% no 1TRI20, para R$ 109,5 mi

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Foto: Camil Alimentos

A Camil Alimentos (CAML3) reportou seus resultados do primeiro trimestre de 2020, nesta terça-feira (7). Os dados são de março a maio deste ano.

O lucro líquido totalizou R$ 109,5 milhões, um crescimento de 119,8% em relação ao mesmo período de 2019.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizção (Ebtida, na sigla em inglês) somou R$ 196,6 milhões, um avanço de 136,9%. Segundo a Camil, houve melhor rentabilidade, com gradual melhora da margem bruta e diluição de custos e despesas.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

A margem Ebtida da Camil atingiu 11,4%, aumento de 4,7 pontos percentuais.

A receita líquida atingiu R$ 1,7 bilhão. Ou seja, uma alta de 39,8% no comparativo com o mesmo trimestre de 2019.

Resultados da Camil Alimentos no 1TRI20

Aumento em todas as áreas

O trimestre foi marcos pelo crescimento em volume de todas as categorias, segundo a Camil.

Assim, no Brasil houve aumento de 8,5%, com destaque para grãos (10,1%), açúcar (6,1%) e pescados (7%).

No internacional houve aumento de volume de 59,7%. O maior crescimento foi no Uruguai (82%), seguido do Peru (27,7%) e Chile (16,4%).

 

Medidas da Camil contra Covid-19

Diante das incertezas econômicas, no início da pandemia, a Camil captou de forma preventiva empréstimos de R$ 1,2 bilhão no trimestre.

“Além das iniciativas operacionais de garantia de suprimentos, a Camil fortaleceu sua liquidez financeira de curto prazo”, diz a empresa.

No cenário internacional, a empresa teve recuperação das exportações do Uruguai frente ao ano anterior e a retomada  de  crescimento de vendas no Peru. Ou ainda a contínua performance positiva no Chile em volume e rentabilidade.

No dia 9 de junho, a empresa aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio aos acionistas.

 

Tá, e aí?

A forte recuperação do resultado da Camil no 1TRI20 refletiu o crescimento expressivo do volume (20,6% ao ano) e também uma recuperação da margem Ebitda para níveis próximos do histórico da companhia

Na avaliação da Eleven Financial Research, ainda que o volume tenha se beneficiado da quarentena, contribuindo para o consumo de arroz e feijão, a maior rentabilidade se deu pelo repasse de custos com aumento do preço da matéria prima e redução das despesas administrativas.

Houve ainda um efeito cambial positivo na receita de exportações de R$ 91 milhões.

 

Cara ou barata?

Na visão da Eleven Research, a Camil conseguiu entregar as reduções de SG&A prometidas e retomar seu patamar histórico de rentabilidade.

Assim, a casa de análises mantém a recomendação neutra para a Camil no preço-alvo de R$ 12.

“Passa da a pandemia, o consumo de arroz e feijão deverá voltar à normalidade. Ainda, a nova dinâmica setorial, de competição mais intensa, deverá limitar ganhos significativos de margem bruta nos próximos anos. Quanto a oportunidades de aquisições, acreditamos que elas deverão ocorrer, embora, no momento, não enxergamos alguma aquisição transformacional em termos de receita para a companhia”, diz a Eleven.