Câmara rejeita PEC do voto impresso; veja mais notícias

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A Câmara dos Deputados rejeitou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso. De acordo com o jornal Valor Econômico, a medida recebeu 229 votos favoráveis quando eram necessários ao menos 308. A Folha de S.Paulo aponta que a proposta recebeu 218 votos contra.

De acordo com o jornal O Globo, a votação ocorreu mesmo durante desfile militar realizado em Brasília. Entre os deputados que participaram da votação, Aécio Neves, que foi candidato à presidência pelo PSDB, em 2014, se absteve de votar.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Ainda de acordo com O Globo, a Nova Lei de Segurança Nacional é aprovada pelo Senado. O texto revoga legislação da ditadura militar e estabelece crimes contra o Estado Democrático de Direito.

Segundo O Estado de S.Paulo, a rejeição do voto impresso é considerada uma derrota política para o presidente Jair Bolsonaro.

Piso da taxa Selic deve ser de 7%, aponta mercado

Matéria do Valor Econômico aponta que o piso da taxa Selic deve ficar em torno de 7% ao ano. É o que diz uma pesquisa feita com agentes de mercado. O tom considerado firme do Comitê de Política Monetária (Copom), em sua ata, ajudou a manter o dólar em R$ 5,20 na terça-feira (10).

Ainda de acordo com o jornal, o colegiado suprimiu do relatório, trecho no qual vinha apontando melhora do cenário para dívida pública.

Inflação reduz espaço para elevação de gastos

A inflação alta reduz o espaço para elevar gastos em 2022. De acordo com o Valor Econômico, o INPC caminha para encerrar o ano perto da variação acumulada em 12 meses até junho pelo IPCA, de 8,35%, percentual que corrigirá o teto de gastos no próximo ano.

Seca e geadas pressionam preços de alimentos

De acordo com O Estado de S.Paulo, seca e geadas pressionam preços dos alimentos. Depois de dois anos de recorde, a Companhia Nacional de Abastecimento projeta queda de 1,2% para a atual safra brasileira de grãos. Entre os produtos mais afetados, estão o milho e a soja, usados em outras cadeias de produção de alimentos.

Clima traz prejuízos ao campo

A Folha de S.Paulo aponta que, vulnerável, o campo já tem prejuízos com crise do clima. A área de cultivo aumentou, mas país vai produzir 254 milhões de toneladas, 20 milhões a menos do que o potencial previsto.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3