Caixa Seguridade pede registro para IPO e listagem no Novo Mercado

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Caixa Seguridade suspende IPO

A Caixa informou que retomou ontem o pedido de registro para oferta pública de ações (IPO) de sua controlada Caixa Seguridade na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O pedido prevê uma oferta secundária, ou seja, serão vendidas ações da seguradora. Ao mesmo tempo, o banco pediu à bolsa de valores (B3) o pedido de listagem da ação no segmento Novo Mercado.

A Caixa Seguridade comunicou em meados de julho que sua controladora iria retomar as discussões para o IPO. O registro tinha sido anunciado em fevereiro e acabou suspenso em março em razão do início da crise motivada pela pandemia do coronavírus. Contudo, a possibilidade de abertura de capital desse braço da Caixa é aventada desde 2017.

O banco pretende levantar R$ 10 bilhões com o IPO, que pode ocorrer entre setembro e outubro, de acordo com previsão feita pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, no mês passado.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Segundo o Valor, a avaliação da Caixa é que os ativos de seguridade da Caixa se valorizaram mais desde o começo do ano, em decorrência das 120 milhões de contas digitais que foram abertas para depósitos de auxílios do governo. Esse deve ser um importante canal para a venda de microsseguros.

Segundo trimestre da Caixa Seguridade

No segundo trimestre deste ano, a Caixa Seguridade reportou um lucro líquido de R$ 393,9 bilhões, avanço de 2,7% em relação ao mesmo período do ano passado. No semestre, o valor foi de R$ 807,9 milhões, alta de 5,2%.

Dessa forma, a companhia registrou 31,2% de ROE e 84,4% de margem líquida ao final de junho de 2020

A receita operacional somou R$ 464,6 milhões, avanço de 0,4% na mesma base de comparação.

Segundo o banco, a melhora do lucro decorre do incremento de resultado de investimento em participações societárias (MEP) da Caixa Seguros Holding, cujo valor atribuível à Caixa Seguridade cresceu 11,1% em relação ao primeiro semestre do ano anterior. Esse resultado foi motivado pelo aumento de produção nos ramos Vida e Habitacional e à elevação de 31,5% do resultado financeiro da Caixa Seguradora.