Caixa Seguridade tem alta de 15% no lucro líquido no 3TRI20

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Foto: Caixa Seguridade

O lucro líquido da Caixa Seguridade no terceiro trimestre de 2020 foi de R$ 508,1 milhões. Ou seja, 15,6% maior que o lucro recorrente do mesmo período de 2019 (R$ 437 milhões).

No acumulado dos nove primeiros meses de 2020, o crescimento foi de 9% em relação ao ano anterior. O acumulado do ano é de R$ 1,3 bilhão.

Segundo a Caixa Seguridade, o desempenho é reflexo do incremento das receitas de acesso à rede de distribuição e uso da marca (BDF), cujos valores atribuíveis à Caixa Seguridade cresceram 66,5% no comparativo com o terceiro trimestre de 2019, com forte incremento observado no ramo Prestamista.

Tio Huli, EconoMirna, Natalia Dalat e outros tubarões do mercado de Investimentos.

Não perca!

Já as receitas operacionais da Caixa Seguridade aumentaram de R$ 519, milhões (3TRI19) para R$ 649,8 milhões (3TRI20).

Em outubro, a empresa desistiu de abrir capital na Bolsa de Valores.

Caixa Seguridade tem ROE de 37%

O retorno sobre patrimônio líquido (ROE) de 37% ao ano ficou acima do observado no terceiro trimestre de 2019 (35%).

Na composição do índice, a variação positiva é devido a performance do lucro líquido do terceiro trimestre, que reforça o numerador do indicador e a redução do Patrimônio Líquido,  proveniente do pagamento de dividendos e sensibilizando o denominador do ROE, diz a empresa.

Margem líquida cai

A margem líquida da Caixa Seguridade foi de 81,88% no terceiro trimestre.

Houve queda de 1,79 p.p. em relação ao mesmo período de 2019. Isso é reflexo do aumento de 11,5% nas despesas tributárias nos nove primeiros meses de 2020 em relação ao mesmo intervalo de 2019, diz a empresa.

Segundo a empresa, os resultados foram decorrentes da redução da participação das receitas de MEP, na composição da Receita Operacional. Contribuiu também para a redução da margem líquida, a redução de 49,4% de Receitas financeiras no período.

Faturamento também cresce

O faturamento das empresas do grupo no terceiro trimestre de 2020 foi de R$ 12,2 bilhões. Os primeiros nove meses de 2020 tiveram acumulado de R$ 26,3 bilhões de faturamento.

Destacam-se os resultados positivos dos ramos prestamista e residencial, que apresentaram aumento de 135,7% e 87,0%, respectivamente, em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Houve também um crescimento de 41,1% e 38,3% no acumulado do ano nos ramos prestamista e residencial, ambos comparativos entre 2019 e 2020.

No comparativo entre os terceiros trimestres de 2019 e 2020, o faturamento apresentou um crescimento de 36,4%, e de 112,5% em relação ao segundo trimestre de 2020.

“Mesmo com o impacto causado pelas medidas restritivas em função da pandemia, percebe-se a retomada no crescimento da produção. A tendência já era indicada no final do trimestre passado, inclusive com melhora na performance do faturamento no comparativo entre 2019  e  2020”, afirma a Caixa Seguridade.

Outros destaques da Caixa Seguridade

A contratação de crédito habitacional também apresentou forte crescimento no comparativo entre o terceiro trimestre de 2019 e 2020, 59,2%. Assim, em comparação com o segundo trimestre de 2020, o aumento foi de 21,5%.

Além do impacto na venda do seguro habitacional, o aumento da contratação de habitação gera novas oportunidades de venda dos seguros de vida e residencial e explica parte do crescimento destes ramos.

A recuperação da produção do ramo previdência privada se destaca com um desempenho superior aos níveis pré-crise. O setor atingiu um faturamento de R$ 8,2 bilhões no terceiro trimestre de 2020. Ou seja, aumento de 191,2% quando comparado ao trimestre anterior.

O segmento capitalização, ainda sensibilizado pela crise, teve o faturamento 2% acima do registrado no segundo trimestre. Mas apresenta uma redução de 12,5% no acumulado do ano, na comparação com 2019.

Por fim, o segmento de consórcios, também impactado pela crise, demonstrou recuperação de seu faturamento. No terceiro trimestre teve um crescimento de 8,2% em relação ao segundo trimestre.