Caixa pretende lançar linha de crédito imobiliário com taxa pré-fixada em evento com Bolsonaro

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Antonio Cruz/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal planeja lançar uma linha de crédito imobiliário com taxa pré-fixada. O evento que vai anunciar a modalidade terá a presença do presidente Jair Bolsonaro, informa o jornal O Estado de S. paulo na edição online desta sexta (31).

O presidente da Caixa Pedro Guimarães pretende antecipar o evento, marcado inicialmente para março, para os próximos dias, diz a reportagem do jornal.

O funcionamento e o detalhamento técnico da linha de crédito ainda estão sendo avaliados pela equipe técnica do banco.

Financiamento em 20 ou até 25 anos

Sabe-se que a taxa do crédito será menor que 10% e servirá como base para financiar imóveis em 20 ou até 25 anos.

A linha não será corrigida pelo IPCA nem pela Taxa Referencial (TR).

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) divulgou, na quinta (30), que a Caixa emprestou o equivalente a R$ 26,6 bilhões em 2019 para financiamento de imóveis.

Essa cifra é maior que a do Bradesco, que em 2018 concedeu cerca de R$ 17,9 bilhões. Nessa lista de maiores bancos que trabalham com crédito imobiliário, o Itaú Unibanco ficou em terceiro, com liberação de R$ 16,7 bilhões no ano passado.

A Caixa aumentou em quase 100% o volume de empréstimos em 2019, comparando com 2018 — quando havia concedido R$ 13,3 bilhões para essa modalidade. Foram 100 mil financiados no ano passado, contra os 55 mil de 2018.

Evento no Palácio do Planalto

O evento que irá divulgar o crédito com taxa pré-fixada da Caixa será feito no Palácio do Planalto. O Estadão apurou que Guimarães ganhou espaço no governo e está mais próximo de Bolsonaro.

Guimarães tem acompanhado Bolsonaro em viagens e até participou das lives do presidente. É do presidente da Caixa, considerado peça importante pelo governo para divulgar ações do banco estatal, a ideia de anunciar a linha bem antes do previsto.

Falta, porém, a análise final do ministro da Economia Paulo Guedes.

 

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo.