Presidente da Caixa diz que o banco está focado em ajudar a população e empresas

Tatiane Lima
Jornalista, redatora sênior. Tecnóloga em Recursos Humanos e MBA em Comunicação e Marketing. Apaixonada por empreendedorismo criativo. Atuei nos três setores, com hard news, jornalismo on, off e redação publicitária.
1

Crédito: Reprodução/ YouTube

Durante live promovida pelo jornal Valor Econômico, nesta sexta-feira (24), o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, falou sobre o papel da instituição na crise pela pandemia da Covid-19. De acordo com o economista, a gestão atual está focada no auxílio emergencial e em outras linhas de atuação como o crédito imobiliário e microcrédito.  “Este é o momento de enfrentamento da crise da saúde e, ao mesmo tempo, de redução de problemas de uma potencial crise econômica”, declarou.

Foco da Caixa é auxílio emergencial

De acordo com o economista, a gestão atual está focada no auxílio emergencial e em outras linhas de atuação como o crédito imobiliário e microcrédito. “A Caixa é o banco de todos os brasileiros, em especial dos mais humildes. Neste momento, nós estamos com o auxílio emergencial, temos quase 50 milhões de brasileiros cadastrados. Já pagamos mais de 36 milhões de brasileiros nesse intervalo”, explicou.

Crédito imobiliário

Outro foco ressaltado pelo presidente da Caixa foi o crédito imobiliário, lançado há dez dias em um programa com R$43 bilhões de financiamento. “Mais do que o financiamento em si, é o fato de ter seis meses de carência para imóveis novos. Tanto para quem está comprando, quanto para a empresa que vende.”

Apesar de 1.85 milhão de pessoas terem solicitado a pausa na parcela do crédito imobiliário, Guimarães garantiu que o banco está preparado para auxiliar os usuários a atravessarem o momento.

“Se houver necessidade para a extensão para 4 ou 5 meses [de pausa] nós o faremos. Temos uma tranquilidade muito grande que todas as discussões são matemáticas e a Caixa quer sempre ajudar a população e as empresas nossas clientes. São muitos bilhões de reais e essa pausa de três meses é diferente do dinheiro novo. Então são dois grandes grupos que nós estamos calculando separados.”

Microcrédito

O microcrédito também é outro ponto ressaltado entre as ações para de auxílio à economia. “Anunciamos nesta segunda-feira (20), uma parceria com o Sebrae para oferecer R$7,5 bilhões para o microcrédito. Já estamos conversando e analisando, mas esta sempre foi uma diretriz estratégica da Caixa”, disse.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Governança

“Além disso, de uma maneira muito clara, temos um compromisso central com a questão da governança. Tanto que, em poucos meses, nós voltamos a ter uma auditoria completa no balanço da Caixa, coisa que não acontecia desde 2016. Então, não existe a mais leve possibilidade desta gestão na Caixa Econômica realizar qualquer ato que não seja matemático. Zero chance.”

Provisão

Guimarães ainda confirmou que a Caixa está na contramão de outros bancos, com bom desempenho e bem atuante no crédito. Além de adiantar um saldo positivo nos resultados, embora disse não poder abordar ainda sobre a provisão do primeiro trimestre.

“Nosso resultado está muito forte e continua muito forte. Consequência de tudo que a gente fez desde o começo do ano passado. Não temos risco de crédito e pouco comprometimento de capital. O que significa um resultado mais consistente e menos impactado por essa crise do ponto de vista das provisões.”

Presidente da Caixa comenta saída de Moro

Perguntado sobre como a saída do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, impactaria o planejamento das medidas econômicas, Guimarães disse que não vê alterações.

“O ministro Paulo Guedes tem todo o plano muito claro. Então do nosso ponto de vista, do ministro da Economia, eu não vejo nenhum tipo de mudança. E do ponto de vista do governo, cabe ao presidente Jair Bolsonaro algum tipo de pronunciamento”, concluiu.