Caixa: 30 milhões de contas-poupança serão criadas para o auxílio emergencial

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal disponibilizou, a partir desta terça-feira (7), um aplicativo, um site e um telefone para cadastro e consultas sobre o auxílio-emergencial, popularmente chamado de “coronavoucher”

O auxílio, que  é de R$ 600, mas poderá chegar a R$ 1.200 no caso de mães que são chefes de família, será pago por pelo menos três meses para aliviar a perda de renda por conta da pandemia de coronavírus.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, informou, em entrevista coletiva, que o Banco abrirá 30 milhões de Poupanças digitais para atender à demanda de quem hoje não está no sistema financeiro.

“Nós temos mais de 30 milhões de brasileiros sem acesso a nenhum tipo de conta. Normalmente, essas pessoas são aquelas que tomam dinheiro a 20% ao mês, 25% ao mês, no mínimo. Existe um componente de inclusão social muito relevante”, avaliou, ao GloboNews.

De acordo com o presidente da Caixa, esse será um movimento estratégico e que marcará o futuro da instituição financeira.

“São milhões de brasileiros que, pela  primeira vez da vida deles passarão a ter uma conta de graça e para sempre porque a Caixa não vai fazer cobrança de absolutamente nenhuma dessas contas. Não será um movimento de três meses. É algo estratégico nosso, mais importante agora é criar esse banco de microcrédito”.

Aplicativo

Desde as 9 horas da manhã, quando o aplicativo foi disponibilizado nas plataformas de download, mais de três milhões de pessoas já haviam feito o cadastro no sistema.

O usuário precisa prestar atenção para baixar o app correto e não cair em golpes. O nome do app é “Caixa/Auxílio Emergencial” e está disponível para Android e iOS.

Segundo as normas estabelecidas pelo Governo, poderão se cadastrar no sistema e baixar o aplicativo trabalhadores autônomos não inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e que não pagam nenhuma contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Quem não sabe se está no CadÚnico pode conferir a situação ao digitar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no aplicativo.

De acordo com Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, foi feito um acordo com as operadoras de telefonia para que o download do app possa ser feito mesmo para as pessoas que não possuírem crédito no momento da operação.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Site

Outra forma de o trabalhador autônomo se cadastrar para ter direito ao “coronavoucher” é por meio de um site lançado também nesta terça-feira pelo Governo Federal.

O endereço do site é o https://auxilio.caixa.gov.br/#inicio. De acordo com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, apenas para as pessoas que não tenham acesso à internet, será possível também fazer o registro em agências da Caixa ou lotéricas.

Telefone

A terceira opção disponibilizada pelo governo é o telefone. Esse, no entanto, não servirá para cadastro, e sim apenas para tirar dúvidas sobre o coronavoucher.

O número disponibilizado pela Caixa é o 111. O congestionamento nas linhas, no entanto, é mais um desafio para o usuário que quiser tentar essa opção.

Pagamento do coronavoucher

O auxílio emergencial de R$ 600 (ou R$ 1200) começará a ser pago na próxima quinta-feira (9) e a última parcela deverá ser paga até 29 de maio, de acordo com calendário anunciado nesta terça.

Quem se cadastrar ainda hoje (terça), segundo o Governo, terá o dinheiro em conta dentro de 48 horas – se já tiveram conta Poupança na Caixa ou corrente no Banco do Brasil.

Quem não estiver dentro dessas duas situações receberá a primeira parcela até 14 de abril, de acordo com as contas do Governo Federal.

Demais parcelas

A programação das demais parcelas do coronavoucher está dividida da seguinte forma:

Segunda parcela:

  • 27/04 (aniversariantes de janeiro, fevereiro e março)
  • 28/04 (aniversariantes de abril, maio e junho)
  • 29/04 (aniversariantes de julho, agosto e setembro)
  • 30/04 (aniversariantes de outubro, novembro e dezembro)

Terceira parcela

  • 26/05 (aniversariantes de janeiro, fevereiro e março)
  • 27/05 (aniversariantes de abril, maio e junho)
  • 28/05 (aniversariantes de julho, agosto e setembro)
  • 29/05 (aniversariantes de outubro, novembro e dezembro)

CadÚnico

Segundo Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, quem já está cadastrado no CadÚnico não precisa fazer mais nada. E ninguém precisa “correr” para fazer fila nas agências da Caixa.

“Quem estava registrado no CadÚnico até 20 de março de 2020 ou já recebe Bolsa Família não precisa fazer novo cadastro. Não tem necessidade de fazer nenhuma correria às agências da Caixa”, pontuou.

Quem pode receber

Para receber, é necessário ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

Por fim, não poder ser beneficiário de outros programas sociais ou do seguro-desemprego. A exceção é o Bolsa Família. Nesse caso, o beneficiário poderá optar pelo que for mais vantajoso para ele.

Senado vota três projetos ao combate à crise do novo coronavírus nesta semana

CBF divulga auxílio de R$ 19 milhões a clubes e federações por conta da pandemia de coronavírus