Caged: país perde 10 mil vagas; número é bem menor que o esperado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Em junho, foram fechados no país 10,984 mil postos de trabalho. É o que aponta o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgado nesta terça-feira (28) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

A projeção apontava um número muito maior: menos 195 mil vagas.

Foram 895,46 mil admissões e 906,44 desligamentos.

A quantidade total de vínculos celetistas ativos em junho contabilizou 37,611 milhões, o que representa uma variação de -0,03% em relação ao estoque do mês anterior.

No acumulado do ano, foi registrado saldo de -1,198 milhão de empregos, decorrente de 6,718 milhões de admissões e de 7,916 milhões de desligamentos.

Em maio, foram fechados no país 350,303 mil postos de trabalho (revisados de 331,901 anunciados anteriormente).

Em abril, o resultado foi o pior da crise do coronavírus, com 902,841 mil postos fechados (revisados de 860,5 mil). Na divulgação de abril também foram feitas as divulgações desde o início de ano, atrasadas por falta de dados. Em março, menos 240,7 mil vagas. Em fevereiro, menos 224,8 mil e, em janeiro, 113,15 mil vagas.

Caged

Reprodução/Caged

Vagas por atividade econômica

Em junho, três dos cinco grupos de atividades econômicas registraram saldo negativo de vagas. Serviços fechou com 44.891 postos a menos. Comércio ficou com 16,646 mil vagas a menos. E Indústria geral, com menos 3,545 mil vagas.

Destaque positivo para a agropecuária, com 36,836 mil vagas de saldo. E para construção, com 17,270 mil vagas.

Saldo de emprego por regiões

Entre as regiões do país, duas apresentaram saldo positivo no número de vagas. A região Norte teve mais 6.547 postos, avanço de 0,37%. A região sul teve saldo de 1,699 mil postos, com avanço de 0,02%. E Centro-Oeste, mais 10,010 mil postos, com variação de 0,31%.

Nordeste registou recuo de 0,02% (com menos 1,341 postos). E Sudeste, recuo de 0,15% (menos 28,521 mil postos).

Para o conjunto do território nacional, o salário médio de admissão em junho foi de R$ 1.696,22. Comparado ao mês anterior, houve redução de R$ 45,51 no salário médio de admissão, uma variação real de -2,68%.