Caged: país perde 10 mil vagas; número é bem menor que o esperado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Em junho, foram fechados no país 10,984 mil postos de trabalho. É o que aponta o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgado nesta terça-feira (28) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

A projeção apontava um número muito maior: menos 195 mil vagas.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Foram 895,46 mil admissões e 906,44 desligamentos.

A quantidade total de vínculos celetistas ativos em junho contabilizou 37,611 milhões, o que representa uma variação de -0,03% em relação ao estoque do mês anterior.

No acumulado do ano, foi registrado saldo de -1,198 milhão de empregos, decorrente de 6,718 milhões de admissões e de 7,916 milhões de desligamentos.

Em maio, foram fechados no país 350,303 mil postos de trabalho (revisados de 331,901 anunciados anteriormente).

Em abril, o resultado foi o pior da crise do coronavírus, com 902,841 mil postos fechados (revisados de 860,5 mil). Na divulgação de abril também foram feitas as divulgações desde o início de ano, atrasadas por falta de dados. Em março, menos 240,7 mil vagas. Em fevereiro, menos 224,8 mil e, em janeiro, 113,15 mil vagas.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Caged

Reprodução/Caged

Vagas por atividade econômica

Em junho, três dos cinco grupos de atividades econômicas registraram saldo negativo de vagas. Serviços fechou com 44.891 postos a menos. Comércio ficou com 16,646 mil vagas a menos. E Indústria geral, com menos 3,545 mil vagas.

Destaque positivo para a agropecuária, com 36,836 mil vagas de saldo. E para construção, com 17,270 mil vagas.

Saldo de emprego por regiões

Entre as regiões do país, duas apresentaram saldo positivo no número de vagas. A região Norte teve mais 6.547 postos, avanço de 0,37%. A região sul teve saldo de 1,699 mil postos, com avanço de 0,02%. E Centro-Oeste, mais 10,010 mil postos, com variação de 0,31%.

Nordeste registou recuo de 0,02% (com menos 1,341 postos). E Sudeste, recuo de 0,15% (menos 28,521 mil postos).

Para o conjunto do território nacional, o salário médio de admissão em junho foi de R$ 1.696,22. Comparado ao mês anterior, houve redução de R$ 45,51 no salário médio de admissão, uma variação real de -2,68%.