Caged: Brasil tem saldo positivo em empregos pelo 3º mês seguido

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução/Agência Brasil

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) confirmou que a retomada do mercado de trabalho do Brasil segue em trajetória ascendente.

De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (29) pelo órgão, o País registrou, pelo 3º mês seguido, um saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada.

Foram criadas 313.564 novas vagas no mercado de trabalho entre 1 e 30 de setembro, decorrentes de 1.379.509 admissões e 1.065.945 demissões no período.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

O resultado foi bastante comemorado pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes. “Estamos criando emprego por três meses seguidos e em ritmo crescente”, celebrou.

“Todas as regiões e os setores criaram vagas em setembro. Isso configura o fenômeno da volta em V da economia brasileira. Temos claramente a volta em V da economia”, repetiu, em coletiva virtual.

Caged confirma melhor resultado do ano

Os números de setembro, além de confirmarem a retomada do mercado de trabalho, foram também os melhores do ano de 2020, segundo os dados do Caged.

Além disso, foi o mais destacado para um mês de setembro desde o início da série histórica, em 1992. Antes de 2020, o melhor mês correspondente tinha sido registrado em 2008, quando foram abertas 282.841 vagas com carteira assinada.

O bom resultado de setembro foi puxado pela Indústria da Transformação, responsável pela abertura de 108.283 novos postos de trabalho. Na sequência vieram o setor de serviços (80.481), comércio (69.239), construção (45.249) e agropecuária (7.751).

O crescimento também foi registrado nas cinco regiões do País, com destaque para a Nordeste, que apresntou alta de 1,38%, em relação ao ano passado, com 85.336 novos postos.

Logo abaixo vieram as regiões Norte, (1,15% e 20.640 novas vagas), Sul (0,85% e 60.319 novas vagas), Sudeste (0,65% e 128.094 novas vagas) e Centro-Oeste (0,59% e 19.194 novas vagas).

Acumulado de 2020 ainda é negativo

Apesar da alta de três meses consecutivos e do melhor setembro da série histórica, a pandemia de coronavírus ainda reflete nos resultados acumulados de 2020.

Segundo o Caged, nos nove primeiros meses do ano a geração de vagas segue negativa.

Entre janeiro e setembro foram registradas 10.617.333 admissões e 11.175.930 desligamentos, o que significa um saldo negativo de 558.597 vagas de trabalho formais.

O resultado foi pior no primeiro semestre, época em que as medidas de isolamento social estavam no auge por conta da Covid-19.

De acordo com os dados divulgados pelo Caged, foram fechadas 1,19 milhão de vagas de trabalho com carteira assinada.

No auge da pandemia, entre março e junho, 1,53 milhão de postos de trabalho foram perdidos, com destaque para abril, que registrou menos 918,2 mil vagas.

Vem aí a Money Week, maior evento de Investimentos da América Latina. Inscreva-se