Cade deve autorizar acordo entre Hypera (HYPE3) e Boehringer, com ressalva

Osni Alves
Jornalista (2007); Especializado em Comunicação Corporativa e RP (INPG, 2011); Extensão em Economia (UFRJ, 2013); Passou por redações de SC, RJ e BH (oalvesj@gmail.com).
1

Crédito: Cade deve autorizar acordo entre Hypera (HYPE3) e Boehringer, mas com ressalva

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deve autorizar o acordo comercial entre as farmacêuticas Hypera (HYPE3) e Boehringer.

Entretanto, para que o negócio avance, a Hypera se comprometeu a vender o medicamento Neocopam Composto para a Neoquímica.

Isso porque a transação entre Hypera e Boehringer poderia configurar concentração de mercado, visto que a primeira já comercializa medicamentos semelhantes.

O negócio gira em torno de R$ 1,3 bilhão e foi anunciado inicialmente em 2019.

A documentação para análise já está em posse do tribunal do Cade.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

A ação da Hypera cai 1,48%, a R$ 32,66.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

Veja o desempenho da Hypera (HYPE3) na Bolsa:

Fonte: tradingview.

O negócio

De acordo com o Cade, a parceria entre as farmacêuticas prevê a aquisição, fabricação, comercialização, marketing, distribuição e venda da família de produtos Buscopan no Brasil.

Para o órgão, a operação não apresenta problemas concorrenciais no mercado de analgésicos isentos de prescrição médica (over-the-counter).

Após análise, ficou demonstrado que o segmento conta com players importantes, mas nenhum deles possui posição de dominância relevante.

Além disso, a participação conjunta das empresas que atuam com esse tipo de medicamento é inferior a 30% e não há significativo incremento na participação de mercado da Hypera em um cenário pós-operação.

Possível concentração

A autarquia avaliou, no entanto, que o negócio tem potencial de gerar concentração elevada no mercado de antiespasmódicos combinados com analgésicos.

Nesse segmento, a Boehringer Ingelheim oferta atualmente os medicamentos Buscopan Composto e Buscoduo, enquanto a Hypera atua com o Neocopan Composto.

O Cade levou em consideração ainda a possibilidade de medicamentos antiespasmódicos simples, sem princípio ativo analgésico, serem substitutos próximos dos antiespasmódicos combinados com analgésicos.

Assim, construiu um cenário que agrega os dois tipos de antiespasmódicos. Também neste cenário ampliado a autarquia identificou expressiva concentração de mercado.

Para afastar as preocupações concorrenciais, a Hypera se propôs a vender o produto Neocopan Composto para a empresa União Química.

Essa operação já foi aprovada pelo Cade em 9 de junho de 2020.

As condições da venda, contudo, estão previstas em Acordo em Controle de Concentrações (ACC) proposto pela Hypera, cujos termos são confidenciais.

No entendimento do Cade, o ACC proposto é suficiente para preservar a concorrência no mercado de medicamentos antiespasmódicos.

A operação foi notificada em 13 de março de 2020. O prazo legal para a decisão final do Cade é de 240 dias, prorrogáveis por mais 90.