Eletrobras (ELET6): Cade aprova compra de ativos eólicos pela Ômega (OMGE3)

Karin Barros
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação

A empresa de energia renovável Ômega Geração recebeu aprovação sem restrições do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aquisição de ativos eólicos da estatal Eletrobras (ELET6), segundo publicação do órgão antitruste no Diário Oficial da União desta terça-feira (8).

A operação, anunciada pelas empresas no final de julho, envolve a compra pela Ômega Geração de parques eólicos da estatal no Rio Grande do Sul por cerca de 1,5 bilhão de reais, incluindo dívidas.

O negócio envolveu a totalidade da fatia da Eletrobras no complexo Santa Vitória do Palmar e em outras usinas, ativos que totalizam 583 megawatts em capacidade.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Simule seus ganhos com nossa Calculadora de Investimentos

Decisão aprovada

A Eletrobras (ELET3 ELET5 ELET6) havia informado no dia 2 de setembro a decisão de aprovar a venda de 78% da participação acionária na Santa Vitória do Palmar para a Ômega (OMGE3). O valor da venda era de R$ 434,460 milhões.

Além disso, aprovou a alienação de 99,99% da participação acionária nas Sociedades de Propósito Específico Hermenegildo I, Hermenegido II, Hermenegildo III e Chuí IX. O valor da operação é de R$ 134 milhões.

Sem prejuízos ao ambiente concorrencial

A Ômega também foi a compradora desses quatro ativos da Eletrobras: as Eólicas Hermenegildo I, II e III, além da Chuí IX, integram o Complexo Eólico Campos Neutrais, no Rio Grande do Sul.​

“Conclui-se que a presente operação não acarreta prejuízos ao ambiente concorrencial”, destacou o Cade em parecer sobre a transação, ao destacar que mesmo após a compra das usinas a Omega seguirá com participação no mercado de energia eólica do Brasil inferior a 10%.

Baixe a Planilha de Rebalanceamento de Carteira de Investimentos