C&A (CEAB3): Itaú (ITUB4) reduz participação; Mills (MILS3) encerra oferta de debêntures

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)
1

Crédito: C&A Brasil (CEAB3): gestora mantém recomendação e preço-alvo em R$ 15

A C&A (CEAB3) comunicou nesta segunda (14) que o Itaú (ITUB4) reduziu a participação acionária para 4,992%.

O banco detinha 5,008% das ações.

A soma das ações detidas pelo conjunto de fundos de investimento geridos pelo Itaú atingiu 4,992% das ações ordinárias da Companhia, totalizando 15.388.482 ações”, diz o comunicado da C&A.4.

“A operação configura redução na participação acionária relevante.”

O Itaú declara, ainda, que tal participação não tem o objetivo de alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da sociedade.

Mills (MILS3) anuncia encerramento de oferta de debêntures

A Mills (MILS3) anunciou o encerramento da oferta da 5ª emissão de debêntures simples, não conversíveis.

A emissão foi aprovada em 15 de setembro último e rerratificada em 4 de dezembro pelo Conselho de Administração da companhia.

A Mills (MILS3) registrou lucro líquido de R$ 1,2 milhão no terceiro trimestre de 2020, revertendo o prejuízo líquido de R$ 19,4 milhões no mesmo período do ano passado.

De acordo com a empresa, o resultado foi impactado principalmente ao aumento do saldo locado, reflexo da retomada das atividades industriais, comerciais e dos serviços em geral.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 1,6 milhão, uma redução de 224,9% nas perdas financeiras.

São Martinho (SMTO3) contratará empréstimo de até R$ 899,1 milhões do BNDES

O conselho de administração da São Martinho (SMTO3) autorizou o grupo a contratar empréstimo de até R$ 899,1 milhões do BNDES.

O empréstimo é pelo prazo de até 20 anos, contados da data da contratação.

“A Diretoria fica autorizada a praticar o que for necessário, inclusive outorgar garantias de qualquer natureza em benefício próprio”, diz o comunicado.

LEIA MAIS

Small caps: veja as ações mais recomendadas para dezembro

Rede D’Or (RDOR3): conheça a empresa do 2º maior IPO da históri

Dólar vai subir ou vai cair? Cenário permanece nebuloso

  • Bolsa de Valores: quais as perspectivas para 2021?
  • Tesouro IPCA+ é o título público mais procurado: entenda por quê
  • CDB rende mais do que a poupança e pode ser alternativa para a reserva de emergência

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.