BTG: resultado do 3TRI20 do Banco Inter (BIDI4) é positivo

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

Apesar do prejuízo líquido de R$ 8,1 milhões no terceiro trimestre, os resultados apresentados pelo Banco Inter (BIDI4) agradaram o BTG Pactual.

Segundo a análise, é possível ver tendências fortes de melhoria em vários indicadores.

“O Inter tem investido fortemente em sua plataforma, por isso o ROE ainda está próximo de zero, mas desta vez acreditamos que podemos estar vendo um ponto de inflexão em termos de receitas, que consequentemente devem começar a aparecer em algum momento”, pontuam os analistas Eduardo Rosman e Thomas Paredo.

Juliano Custódio. Henrique Bredda. Luiz Barsi. Gustavo Cerbasi.

Estamos Ao Vivo!

Eles destacam que as ferramentas de crédito do Banco Inter parecem estar cada vez melhores – ponto que o BTG vê como a chave para manter a plataforma funcionando em sua máxima capacidade.

Veja os resultados do Banco Inter no terceiro trimestre de 2020.

Iniciativas começam a ganhar tração

Os avanços da receita média por usuário, do CTS (custo para servir cliente) e do CAC (custo de aquisição de clientes) também foram importantes e mostram que o Inter está no caminho certo para se tornar um ecossistema lucrativo e bem-sucedido, diz o BTG.

A ARPU (receita média por usuário) ficou praticamente estável t/t, apesar do crescimento de 21% no número de clientes.

Mas o principal destaque, avalia o BTG, foi o aumento de 10% t/t no ARPU de tarifas à medida que novas iniciativas como Inter Shopping, Inter Invest e Inter Seguros começam a ganhar tração.

O CTS (custo de servir) e o CAC (custo de aquisição do cliente) melhorou 1% e 4% sequencialmente. “Isso mostra claramente que o Inter atingiu um importante ponto de inflexão para lucratividade”, analisa o BTG.

Indicadores do Banco Inter em crescimento

O Banco Inter encerrou setembro com 7,2 milhões de clientes, 2% acima do esperado e 118% no comparativo com 2019.

O número de contas abertas continuou a acelerar e alcançou 20 mil no 3º trimestre (vs. 16 mil no 2º trimestre).

De forma geral, o BTG avaliou que os indicadores do Banco Inter parecem muito fortes. Com destaque para:

  • Marketplace GMV (volume total de venda) expandiu para R$ 377 milhões no 3T, alta de 207% t/t e atingindo a marca de 760 mil compradores no trimestre;
  • O Inter Invest atingiu quase 1 milhão de investidores;
  • Inter Seguros totalizou 180 mil clientes (+377% a/a);
  • Carteira de crédito acelerada;
  • Ótimo NPS de 83 – ou seja, índice de satisfação do cliente.

Empréstimos sobem

Os empréstimos brutos do Banco Inter ficaram 12% acima do esperado pelo BTG. Assim, houve aumento de 23% t/t e 59% a/a. O crescimento foi forte em empréstimos a pequenas e médias empresas e em cartões de crédito.

Os créditos para pequenas e médias empresas cresceram quase 90% no trimestre, impulsionado pela operação de Supply Chain Finance (financiamento de cadeia de suprimentos) recentemente lançada – este foi o principal destaque.

A carteira de crédito de cartão atingiu R$ 1,3 bilhão no terceiro trimestre. Ou seja, alta de 34% t/t e 102% a/a.

Banco Inter tem quase 1 milhão de investidores

A plataforma de investimento do Banco Inter, agora renomeada Inter Invest, continua crescendo no número de clientes ativos.

Os clientes ativos totalizaram 970 mil no terceiro trimestre. Ou seja, alta de 27% t/t e 187% a/a, e atingiu 13,5% do total de clientes.

Clientes com ações sob custódia totalizaram 310 mil (+ 30% t/t).

Intershop tem R$ 20 milhões em receitas

O mercado do Banco Inter, renomeado Intershop, começou o trimestre em um bom ritmo, com o Inter hospedando seu primeiro InterDay em julho (R$ 30 milhões de GMV em apenas um dia).

Assim, a iniciativa levou o GMV do 3T a alcançar R$ 377 milhões (3x acima do 2T).

“Mesmo desconsiderando o InterDay, o ritmo de crescimento continuou a melhorar entre agosto e setembro”, diz o BTG.

Embora o cashback tenha tido quase 100% da taxa de aceitação no terceiro trimestre, sendo mais agressivo no semestre para acelerar a tração na Intershop, esta parece ser a estratégia correta para o Inter, avalia o BTG.

Recomendação de compra

Para o BTG, os motores da plataforma do Banco Inter estão apenas esquentando.

“Embora a monetização do cliente pode demorar um pouco mais para começar a fluir, os resultados do terceiro trimestre mostram que o Inter pode ter atingido um ponto de inflexão importante”, analisa o BTG.

Assim, a recomendação é de compra para o ativo até o valor de R$ 74.

Para participar da nova edição da Money Week, de 23 a 27 de novembro, inscreva-se.

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.