BTG Pactual (BPAC11): resultado da Cemig (CMIG4) vem abaixo do esperado

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução / Facebook / Cemig

De acordo com relatório do BTG Pactual divulgado nesta segunda (29), a Cemig (CMIG4) apresentou resultados abaixo do esperado no 4TRI20.

A empresa registrou Ebitda R$ 1,560 bilhão, ante uma expectativa de R$ 1,336 milhão do BTG).

No entanto, quando ajustado por itens não recorrentes, o Ebitda teria totalizado R$ 1,095 bilhão, uma falha de 18% na estimativa do banco mas em linha com o consenso.

No que tange ao lucro líquido, a companhia entregou R$ 1,331 bilhão ante R$ 667 milhões projetado pelo BTG.

“A variação cambial dos Eurobônus da empresa, mais do que compensou o resultado de equivalência patrimonial inferior ao esperado, impactado negativamente pelas UHEs Belo Monte e Santo Antônio”, destacou o relatório do BTG.

Além disso, a Cemig submeteu à Assembleia Geral de Acionistas pedido de aprovação do pagamento de dividendos de R $ 1,482 bilhão, que se traduz em 52% de payout.

Perda na geração e na distribuição

A perda veio principalmente da divisão de G&T da Cemig que registrou Ebitda ajustado de R$ 405 milhões, negativamente impactado pela estratégia de alocação de energia da empresa e altos preços spot, que levaram a maiores custos de aquisição de energia. O BTG estimava um Ebtida de R$ 666 milhões

O braço de distribuição entregou Ebitda ajustado de R$ 436 milhões, contra R$ 525 milhões esperado pelo banco.

Do lado positivo, os volumes faturados das distribuidoras mostraram uma recuperação (+ 3,3% a / a), uma vez que o crescimento do consumo residencial e industrial mais do que compensou a menor demanda nos segmentos público comercial.

O BTG Pactual (BPAC11) informou ainda que mantém posição de compra nos papéis da companhia, com preço-alvo em 13,00.

Cemig tem alta de 136,2% no lucro no 4TRI

A Cemig (CMIG4) registrou um lucro líquido de R$ 1,332 bilhão no quarto trimestre de 2020, crescimento de 136,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

No ano, a empresa lucrou R$ 2,864 bilhões, queda de 10,3% em relação a 2019.

O resultado financeiro foi negativo em R$ 354 milhões no quarto trimestre do ano passado, revertendo ganhos financeiros de R$ 213, milhões do quarto trimestre de 2019.