BTG Pactual (BPAC11) recomenda compra de ações de shoppings

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O BTG Pactual (BPAC11) divulgou seu relatório sobre shoppings afim de analisar com precisão os impactos da nova rodada de restrições, impostas no combate a segunda onda de infecções pelo coronavírus.

Em termos das restrições mais relevantes, em Manaus e Belo Horizonte os shoppings estão operando apenas com lojas essenciais, enquanto os shoppings paulistas vão sofrer mais uma rodada de restrições.

As taxas de utilização de leitos de UTI ainda são o principal critério adotado pelas autoridades para impor ou elevar restrições.

Guia definitivo sobre Renda Variável  e os Melhores Investimentos para 2021

“A 2ª onda deixou o sistema de saúde de Manaus de joelhos, enquanto a ocupação da UTI está em níveis recorde em outras regiões. Esse cenário levou algumas autoridades a aumentar as restrições para fazer frente ao crescente número de infecções”, ressaltou o BTG.

Potencial de valorização

Nesse cenário, os shoppings de Manaus estão fechados desde 4 de janeiro, Belo Horizonte, desde 11 de janeiro e, mais recentemente, os shoppings em São Paulo.

Para os analistas do BTG, todas as seis empresas do segmento listadas na Bolsa são impactadas por essas restrições, sendo que:

  • BR Malls possui 3 shoppings fechados (7% da ABL própria);
  • Multiplan fechou seus 3 shoppings em BH (13% da ABL);
  • Iguatemi fechou a “Esplanada” em Sorocaba-SP (10% da ABL);
  • Aliansce Sonae possui 4 shoppings fechados (16% da ABL);
  • CCP possui apenas 1 shopping fechado em BH;
  • JHSF possui 3 shoppings com restrições;

Ainda com uma série de notícias negativas para os shoppings, o BTG acredita que os ativos possuem bom potencial de valorização.

Ativos

“Estamos vendo uma recuperação nas vendas dos shoppings (“apenas” ~ 15% abaixo dos níveis pré-Covid) e as vacinas são uma realidade, sem mencionar que os estoques parecem excessivamente descontados”.

Nesse sentido, o banco acredita que é hora de comprar shoppings nos seguintes ativos: Aliansce Sonae (ALSO3), preço-alvo R$ 26.18; BR Malls (BRLM3), preço-alvo R$ 9.17; CCP (CCPR3) R$ 12.03; Iguatemi (IGTA3), preço-alvo R$ 32.65; JHSF (JHSF3), preço-alvo (R$ 7.06).