BTG Pactual (BPAC11): Hidrovias do Brasil (HBSA3) apresenta números positivos

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Hidrovias do Brasil

Segundo analistas do BTG Pactual (BPAC11), a Hidrovias do Brasil (HBSA3) relatou números positivos no quarto trimestre, com receitas e resultados financeiros mais fortes, enquanto o Ebitda ajustado ficou em linha com as estimativas do BTG.

A receita líquida consolidada aumentou 62% a / a para R$ 358 milhões, 27% acima da projeção do Banco, enquanto o Ebitda reportado aumentou 34% (para R$ 155 milhões, 16% acima do que o BTG estimava).

Por fim, o lucro líquido foi de R$ 37 milhões, enquanto o BTG esperava um lucro de R$ 23 milhões.

Desempenho operacional atingido por evento pontual

Os volumes transportados caíram 15% a / a, impulsionados por um fraco desempenho na operação de cabotagem (-62% a / a).

Essa queda foi ocasionada por problemas no cais de descarga utilizado pelo cliente e sem impacto no resultado, pois o contrato está no formato “takeor-pay”.

A empresa sinalizou que esse problema foi resolvido no 1T21.

O Corredor Norte foi o grande destaque (+ 31%, em linha com o BTG), enquanto o Corredor Sul registrou uma queda de 8% a / a, 5% acima do estimado pelo Banco.

A receita líquida do Corredor Norte foi de R$ 129 milhões (alta de 75% a / a, 55% acima do BTG). Ao mesmo tempo, a receita líquida do Corredor Sul foi de R $ 154 milhões (alta de 92%, 34% acima do projetado pelo Banco.

Segundo o BTG Pactual, a Companhia sinalizou que a Vale passará a utilizar a capacidade total do seu contrato em 2021, o que significa que a remuneração “take-or-pay” começa com base no volume total transportado cumulativamente no ano, com volumes significativamente superiores aos dos anos anteriores.

O BTG Pactual mantém rating de compra com preço-alvo em R$ 11,00

Hidrovias do Brasil (HBSA3) registra prejuízo de R$ 105,54 mil em 2020

A Hidrovias do Brasil (HBSA3) reportou um prejuízo líquido de R$ 105,54 milhões no acumulado de 2020. Um ano antes, a Companhia havia registrado lucro de R$ 58,6 milhões.

No ano, o resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 251,02 milhões ante um resultado negativo de R$ 170,2 milhões em 2019.

O volume total transportado pela Companhia no ano de 2020 foi 19,8% superior ao ano anterior, com destaque para o forte desempenho de grãos no corredor Norte, que foi 45,9% maior no período, confirmando as expectativas positivas ao longo de 2020.

No quarto trimestre, os volumes do corredor Norte cresceram 30,5% em comparação ao mesmo período de 2019.

Já o volume total transportado pela Companhia ficou 15,4% abaixo no período.