BTG Pactual (BPAC11) diz que IBR (IRBR3) está no caminho certo

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação

O BTG Pactual (BPAC11) realizou videoconferência com o CEO interino do IRB Brasil (IRBR3), Wilson Toneto, junto com mais de 50 investidores locais da companhia.

Esta foi a primeira reunião pública realizada pelo Sr. Toneto como interino (ele também é Diretor de Operações e Atuarial) e a primeira do líder de resseguros depois que a SUSEP “deixou” a empresa após quase 11 meses.

Em 7 de abril, o IRB divulgou fato relevante informando que recebeu a aprovação da SUSEP para o fim da fiscalização especial.

O BTG Pactual vê esse fato como “uma relevante virada de página” depois de toda a turbulência.

“Embora a história da marca e do patrimônio líquido esteja naturalmente em reconstrução, do ponto de vista da solvência e da liquidez, o IRB parece em boa forma”, destacou o banco.

Plano estratégico após os resultados do 1T21

O IRB vem trabalhando com uma consultoria internacional com o objetivo de obter um plano estratégico atualizado para os próximos anos.

O principal objetivo é, naturalmente, focar no Brasil, onde suas vantagens competitivas são mais fortes. O novo plano, uma vez pronto e “aprovado” pela nova diretoria, será compartilhado com o mercado.

O Sr. Toneto disse que, se possível, eles querem compartilhar o plano estratégico em conjunto com os resultados do 1T21.

Para o BTG Pactual, o IRB está naturalmente em processo de re-subscrição (limpar, consertar e crescer), o que levará a uma maior lucratividade a longo prazo.

Na última teleconferência, o presidente disse que esperava que os resultados voltassem a todo vapor em 2022-23.  Ele está confiante de que o IRB será lucrativo em 2021, mas ainda deve ser um ano de transição.

Em janeiro, o IRB registrou lucro líquido de R$ 17,9 milhões.

Crescimento da indústria de resseguros

Toneto disse ainda que a indústria global de resseguros está crescendo em um mercado difícil, o que significa que as resseguradoras têm sido capazes de ajustar os preços “mais facilmente”.

O mesmo ciclo está acontecendo com o IRB e, até o momento, tem obtido sucesso no aumento de prêmios, embora tenha decidido não renovar alguns contratos pouco atrativos.

Sobre perrmanecer como CEO do IRB Brasil, Toneto descartou a possibilidade. Apesar de estar totalmente comprometido com a empresa, o CEO acredita que trazer alguém de fora é o melhor.

“Um estranho também pode trazer um ângulo e perspectiva diferente para o IRB”, disse Toneto.