Para o BTG Pactual (BPAC11) o desempenho da Multiplan (MULT3) foi abaixo do esperado

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Para os analistas do BTG Pactual (BPAC11), o desempenho da Multiplan (MULT3) no quarto trimestre de 2020 ficou abaixo das estimativas, principalmente devido a maiores despesas gerais e administrativas.

A receita líquida, em R$ 302 milhões, também veio 2% abaixo do estimado pelo Banco.

Do mesmo modo, o Ebitda de R$ 149 milhões foi 20% abaixo da projeção do BTG.

Por outro lado, os analistas observaram que os números operacionais melhoraram, com maior arrecadação e menor vacância.

“Os números operacionais do quarto trimestre foram sólidos. Apesar das vendas nas mesmas lojas caírem 15% a / a devido à Covid-19, a Multiplan conseguiu manter os aluguéis nas mesmas lojas (-0,2% a / a), ajudada pela remoção dos descontos concedidos no 2T/3T.”

A Multiplan também continuou cortando despesas com condomínio, o que elevou o custo de ocupação para 11,6% das vendas dos lojistas.

A taxa de inadimplência foi de 5,8% no quarto trimestre e a taxa de vacância foi de apenas 4,2%.

Em um cenário onde os aluguéis subiram para níveis de 2019 enquanto a taxa de vacância e a inadimplência começaram a cair, o BTG vê uma recuperação mais rápida do que a maioria esperava para os shoppings.

Sendo assim, a classificação do BTG Pactual para as ações da companhia é neutra, com preço alvo em R$ 31,00.

Multiplan (MULT3) registra lucro de R$ 146,9 milhões no 4TRI, alta de 3,2%

A Multiplan (MULT3) registrou lucro líquido de R$ 146,9 milhões no quarto trimestre de 2020, alta de 3,2% na comparação com igual período do ano passado.

Em 2020, o lucro líquido foi 104,7% superior ao de 2019, atingindo R$ 964,2 milhões.

Segundo a companhia, foi o maior lucro da história, beneficiado pela venda da Diamond Tower em julho de 2020.

Já a receita liquida recuou 17,9% no quarto trimestre, para R$ 301,69 milhões. No acumulado de 2020, a receita foi de R$ 1,9 bilhão, alta de 43,5% sobre a base anual.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 148,77 milhões, uma contração de 41,1% sobre o quarto trimestre de 2019.

No acumulado de 2020, o Ebitda atingiu 1,37 bilhão — a maior marca na história da Companhia — com alta de 47,7% ante o acumulado de 2019.

A margem Ebitda ajustado atingiu 49,3% no período, baixa de 1,93 p.p em relação ao quarto trimestre de 2019.

O Ebitda alcançou um crescimento anual (CAGR) de 13,9% nos últimos cinco anos.