BTG Pactual (BPAC11): Cosan (CSAN3) representa um dos negócios mais bem sucedidos do país

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Em relatório, o BTG Pactual (BPAC11) classifica a Cosan (CSAN3) como um dos maiores e mais bem-sucedidos conglomerados brasileiros na última década.

Depois de estrear em logística, gás natural, vender outras unidades maduras como Radar e Cosan Alimentos, e dar continuidade à tão esperada reestruturação societária, suas principais unidades de negócios amadureceram e tornaram-se relevantes geradoras de fluxo de caixa livre.

Desse modo, para os analistas do BTG, a Cosan parece pronta para embarcar em um novo ciclo de crescimento.

Operar Vendido, Shoppings, Tendências e muito mais, confira a agenda de hoje no FII Summit

Uma cultura forte pronta para se transformar em um ecossistema completo

Após o dia do investidor, promovido pela Cosan ontem, o BTG elogiou a capacidade da Companhia em reter e promover talentos e, ao mesmo tempo, construir parcerias nas áreas em que precisa desenvolver competências.

É o caso de novos empreendimentos em energia, varejo, logística, digitalização, biogás, biomassa, comercialização, gás intermediário e downstream e renováveis.

Todas essas são áreas em que a Cosan busca crescer, colocando em teste seu histórico de alocação de capital, ao mesmo tempo em que busca desbloquear valor por meio dos mercados de capitais.

Espaço para mais na Raízen e no Compass

O BTG reconheceu ainda que, na Raízen o modelo do banco ainda não captura várias oportunidades de crescimento: o biogás oferece uma plataforma única que pode transformar o mercado de diesel; O etanol 2G e a biomassa também podem significar um salto em termos de produtividade; A pegada incomparável de energias renováveis ​​da Raízen poderia enfrentar o mercado emergente de crédito de carbono; o comércio de produtos de terceiros (também conhecido como ‘inteligência de mercado’) também pode significar mais valor; e a possível estreia no refino.

Já na Compass, o BTG deve capturar o valor associado a oportunidades não-Comgás, principalmente considerando um possível negócio da Gaspetro e outros projetos de midstream.

Do valor ao crescimento

“Embora o Cosan Day de 2021 tenha reforçado de muitas maneiras nossa visão da Cosan como uma empresa em contínua transformação, ele também coloca oficialmente a Cosan de volta ao modo de crescimento”, destacou o BTG

Nos últimos dez anos, o processo de diversificação da Cosan a transformou de uma empresa de açúcar e etanol virtualmente puro em um dos maiores e mais bem-sucedidos conglomerados operando no mercado brasileiro (e em alguns casos, global) de energia, combustíveis, renováveis, logística e lubrificantes mercados.

Conforme os negócios operacionais amadurecem e a Cosan completa sua tão esperada simplificação de acionistas, a Companhia parece pronta para acelerar o crescimento mais uma vez.

O foco é claramente a agenda ESG e o BTG acredita que a aquisição da Biosev foi apenas o começo.

Diante do exposto, o BTG Pactual mantém sua posição de compra com preço-alvo em R$ 130,00.