BTG Pactual (BPAC11) aposta em queda das taxas LTN-24 em 12 meses

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação

As taxas de juros LTN-24 deverão cair nos próximos 12 meses, segundo previsão divulgada em relatório pelo BTG Pactual (BPAC11) nesta segunda-feira (21).

No documento assinado por Álvaro Frasson, economista-chefe do BTG Pactual, a instituição citou que, ao longo de 2020, as taxas da LTN-22 caíram mais em relação as taxas da LTN-24, como é mostrado na diferença em base points (bps) entre os dois títulos prefixados.

O movimento representado no gráfico acima mostra o reflexo da manutenção prolongada da taxa básica de juros e, consequentemente, maior elevação da PU destes títulos prefixados em comparação as LTNs mais curtas.

A constatação é de que, por conta desse movimento, a LTN-24 possui maior atratividade.

Rentabilidade da LTN-24 em 3 cenários

O relatório do BTG Pactual montou três cenários diferentes que podem ocorrer envolvendo a rentabilidade da PU da LTN-24 dentro dos próximos 12 meses em relação às projeções do CDI para o mesmo período.

  • Cenário base: mantém a atual expectativa pós-Copom. Nesse cenário, o PU da LTN-24 ficaria em 5,38%, 197% acima do CDI (2,73%);
  • Cenário pessimista: elevação de 100 bps (+1%) na taxa de juros da LTN-24 em função de uma antecipação inesperada da alta de juros. Piora na situação fiscal e/ou na inflação por pressão cambial pode ser um dos indicativos. Nessa condição, o PU da LTN-24 ficaria em 3,14% contra 2,73% do CDI (115% de diferença);
  • Cenário otimista: redução de 50 bps (-0,5%) na taxa de juros da LTN-24 em função de uma prolongação do estímulo monetário do BCB para a economia brasileira. Retomada da agenda fiscal com atividade econômica, apreciando o câmbio e retirando pressão inflacionária no curto prazo pode ser um indicativo. No melhor cenário, o PU da LTN-24 ficaria em 6,52%, 239% acima do CDI, que seria de 2,73%.

Conclusão

O relatório do BTG Pactual apontou que, mesmo diante de um cenário deteriorado pelas perspectivas político-econômicas do País, o prêmio atrelado a LTN-24 é significativo, pois, mesmo no viés mais pessimista, pode render 115% acima do CDI aos investidores.

As Letras do Tesouro Nacional com vencimento em 2024 dão ao mercado, portanto, potenciais oportunidades de valorização em títulos de médio prazo.

Essa tendência, como mostra o gráfico final, já está no ápice do ano, rendendo algo próximo a 300% do CDI e evidenciando a maior inclinação da curva e uma proteção da rentabilidade do cliente a movimentos adversos nas taxas de mercado.

Leia também: Focus projeta queda de 5,05% do PIB e inflação a 1,99%