BTG (BPAC11): Direcional (DIRR3) tem resultados sólidos no 4T20

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação/ Direcional

Relatório divulgado pelo BTG (BPAC11) nesta terça-feira (16) afirma que os resultados do quarto trimestre da Direcional (DIRR3) foram sólidos, conforme o esperado.

A receita foi de R$ 425 milhões (+ 16% a/a; em linha com a projeção), enquanto o lucro bruto foi de R$ 157 milhões (+ 18% a/a; 2% acima da estimativa), levando a uma margem sólida de 37% (+ 80 bps t/t; 90 bps acima da expectativa).

A construtora obteve um ganho com a venda de uma participação em um edifício, mas isso foi compensado por maiores despesas financeiras com securitização, resultando em um LPA de R$ 0,27 (+ 44% a/a, 2% abaixo do esperado) e ROE de 13%.

Operar Vendido, Shoppings, Tendências e muito mais, confira a agenda de hoje no FII Summit

Conforme anunciado anteriormente, a Direcional teve uma sólida geração de caixa de R$ 59 milhões no trimestre.

“Após o pagamento de R$ 120 milhões em dividendos no 4T20, a empresa ainda apresenta um balanço sólido, com relação dívida líquida/patrimônio líquido de apenas 9%. Acreditamos que o forte balanço patrimonial da Direcional deve garantir que ela possa continuar a expandir suas operações no segmento de renda média com a marca Riva, como já vimos no 4T”, diz a empresa.

Recomendação de compra para Direcional

O BTG acredita que a Direcional apresentou bons números no 4T20, mantendo uma margem bruta elevada (apesar das pressões de custo), aumentando significativamente o lucro e gerando um FCF positivo.

“Sim, os custos de construção devem continuar subindo, mas acreditamos que a Direcional deve crescer muito neste ano, impulsionada pela Riva (com lançamentos de R$ 1 bilhão)”, afirma a análise.

Assim, o BTG mantém a classificação de compra para Direcional com base em um valuation atraente, segundo o banco, de 10x P/L 2021E.

O preço-alvo é de R$ 18.