BTG (BPAC11) deve destravar sinergias com Pan (BPAN4)

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

O anúncio do BTG Pactual (BPAC11) ao mercado sobre a aquisição da totalidade das ações de titularidade da CaixaPar que somam 26,8% do capital social do Banco Pan (BPAN4) “pode destravar sinergias”, diz relatório da Eleven divulgado nesta quinta-feira (08).

A participação total do BTG aumenta de 44,9% para 71,7%, passando a deter 100% do capital votante do Pan. O valor da transação é de R$ 3,7 bilhões, que corresponde a R$ 11,42 por ação, um desconto de 1,6% em relação ao preço de fechamento do Banco Pan do dia 05/04 em um valuation de 2,4x book. Assim, a oferta secundária de ações anteriormente anunciada pela Caixa foi suspensa.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

BTG será único controlador

O BTG se transforma no único controlador do Pan e pretende fazer dele um complemento de sua estratégia digital.

Segundo a Eleven, o BTG tem falado em diversas ocasiões sobre complementariedade dos dois businesses, sendo o foco do BTG+ clientes com renda superior a R$ 5 mil/mês, que é um mercado de cerca de 30 milhões de brasileiros.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Este cliente normalmente necessita de um cartão internacional, procura transação bancária ágil, acesso a bons investimentos, produto de planejamento financeiro e limite de crédito.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

O Banco Pan foca em um cliente com renda abaixo de R$ 5 mil/mês, um mercado de mais de R$ 160 milhões de brasileiros, que são potenciais tomadores de empréstimos e consumidores de educação financeira.

Capitalização do BTG

O BTG continua bastante capitalizado, mesmo após a operação, afirmam os analistas.

O banco realizou em menos de um ano (maio/2020 e janeiro/2021) duas ofertas secundárias com captação total de R$ 4,6 bilhões, que permitiram ao banco capturar oportunidades de mercado tanto organicamente quanto através de aquisições.

Após o desembolso para a compra do Pan, a basileia atual do BTG, que é de 18,5% (proforma considerando a oferta de janeiro), deve cair para 16,5%, ainda acima do mínimo exigido, que é de 12%.

“O BTG usualmente prefere operar com níveis altos de capitais, portanto, acreditamos que eventuais aquisições para complementar o business do digital serão feitas em empresas de pequeno e médio porte. Reiteramos nossa recomendação de compra com preço-alvo de R$ 134,00”, dizem os analistas da Eleven.

Benefícios para o Banco Pan

A operação é positiva também para o Banco Pan, com atenção sobre o acordo de funding com a Caixa, diz a Eleven.

“Entendemos que a operação seja positiva também para o Banco Pan, uma vez que o BTG já conhece o operacional do banco há alguns anos, além de o deal por si só ter tirado o peso do overhang do desinvestimento da Caixa, de certa forma esperado”.

A Eleven acredita que a atual relação de complementariedade entre os bancos, possa evoluir para criação de sinergias, com o aumento a gama de serviços oferecidas pelo Pan, inclusive produtos de investimentos.

O Pan possui uma carteira de crédito de R$29 bilhões, com mais de 7 milhões de clientes e tem investido na digitalização de seus produtos. O banco adotou uma postura conservadora na prorrogação de contrato com clientes em 2020 e terminando o ano com um ROE de 12,8% vs. 9% dos seus pares.

“Um ponto de atenção, é o acordo com a Caixa que fornece parte significativa do funding via depósitos e cessões sem coobrigações. Vamos acompanhar as novas diretrizes a respeito, mas acreditamos que o acordo seja estendido por alguns anos. Mantemos a recomendação de compra e colocamos o preço-alvo sob revisão”, diz a Eleven.

 

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.