BTG (BPAC11): compra da Zee.dog pela Petz (PETZ3) fortalece a proposta multicanal

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação/Petz

O anúncio desta terça-feira da compra da Zee.dog pela Petz (PETZ3) fortalece a proposta multicanal da empresa, segundo relatório do BTG Pactual (BPAC11).

A compra foi feita por R$ 715 milhões, 8% do valor de mercado da Petz, com R$ 615 milhões no fechamento do negócio (87% em ações e 13% em dinheiro) e R$ 100 milhões a serem pagos em cinco anos.

Considerando um EV de R$ 700 milhões, o negócio implica um múltiplo de 3x EV/vendas brutas em 2021 (vs. 3,7x de Petz) e 31x EV / EBITDA, segundo cálculos do BTG.

A expectativa da Zee.Dog é de R$ 228 milhões em vendas brutas neste ano (10% das vendas da Petz, com 59% do canal online) e R$ 22 milhões em EBITDA pós-sinergias em 2021 (principalmente relacionados a iniciativas de corte de custos).

Uma plataforma omni-nativa e internacional

Criada em 2011 pelos irmãos Felipe e Thadeu Diniz e Rodrigo Monteiro, a Zee.Dog é uma plataforma disruptiva no segmento de animais de estimação, que inclui o site Zee.Dog e o app Zee.Now (criado em 2019 e especializado em entrega expressa).

A marca tem lojas em Nova York, São Paulo e Rio de Janeiro, bem como uma operação de comércio eletrônico internacional, atendida por três centros de distribuição (dois nos EUA, na Califórnia e na Carolina do Norte e um na Holanda).

Com presença em mais de 45 países, 30% da receita da empresa é internacional, incluindo vendas para grandes grupos globais no segmento de animais de estimação, como Pets at Home e Chewy.

No Brasil, por meio de 12 hubs nacionais, a Zee.Now oferece produtos das maiores marcas no segmento pet, respondendo por 30% das vendas do grupo Zee.Dog (20% das vendas do Zee Now são de marcas próprias).

Movimento positivo de M&A reforça visão otimista para Petz

Além das iniciativas de corte de custos, as sinergias devem surgir do know-how da Zee.Dog para desenvolver o portfólio de marca própria (geralmente com margens mais altas) e a partir do uso da vasta rede de lojas da Petz (144 em 18 estados), que deve funcionar como hubs, fortalecendo a proposta omnicanal da empresa, diz o BTG.

A visão positiva dos analistas é baseada em quatro pilares:

Exposição a um mercado grande, de alto crescimento e ainda fragmentado para animais de estimação produtos e serviços;

Solução one-stop-shop focada na experiência do consumidor na loja (ampla variedade de produtos e conveniência, com tosa e veterinário clínicas);

Plataforma omnicanal em expansão, tornando Petz mais competitivo em relação a players regionais e marketplaces horizontais, reforçados pela aquisição de Zee.Dog;

Expansão nacional com melhoria de rentabilidade.

Assim, o BTG vê um atraente lucro por ação de 45% CAGR (sem incluir Zee.Dog) até 2025, justificando nossa classificação de compra. Preço-teto de R$ 20.