BTG (BPAC11) vê interesse por Vale (VALE3) mesmo com cenário adverso

Matheus Gagliano
Jornalista formado em 2007. Possui mais de 15 anos de experiência em jornalismo econômico e corporativo. Passou por veículos especializados como Brasil Energia e Canal Energia e pelo Jornal do Commercio, do Rio de Janeiro. Além de passagens por veículos como Record TV do Rio, jornal O Dia e Diário Lance.
1

O banco BTG Pactual (BPAC11) vê um alto interesse nas ações da Vale (VALE3), mesmo com cenário adverso, marcado por quedas no preço do minério de ferro, na China. E isso ainda em meio a um cenário de dúvidas persistentes sobre o cenário macro.

O banco acompanhou um roadshow com a equipe da Vale em Nova York (Estados Unidos) e Londres (Inglaterra). Nos dois países, o banco pôde constatar o interesse dos investidores. Porém, relatou também que É inegável que as discussões tenham sido dominadas por preocupações macro em torno das perspectivas para o mercado imobiliário chinês.

No entanto, a administração acredita que a produção de aço chinesa deve acelerar no segundo trimestre do ano que vem a partir dos níveis atuais “mínimos” (fundo à vista).

BTG (BPAC11): Vale (VALE3) tem estratégia focada em estabilidade operacional

De acordo com o relatório do banco, a estratégia permanece focada em estabilidade operacional após um 2021 difícil; crescimento dos volumes de minério de ferro para 400 Mtpa no longo prazo, mas apenas se houver um mercado para isso (foco na margem segue intacto); alocação de capital inalterada sob o novo CFO; novas rodadas de corte de custos, modelo de negócios capex light e eliminação de perdas de fluxo de caixa e; Agenda ESG.

“Reiteramos nossa recomendação de Compra uma vez que as ações permanecem altamente subvalorizadas a 3,5x EBITDA 22 (mesmo a preços abaixo de US$ por toenlada)”, reporta o documento do banco.

Minério de ferro sem super ciclo, mas também sem pouso forçado

Outro ponto do relatório diz respeito ao minério de ferro. O documento diz que a administração descartou um superciclo de minério de ferro meses atrás. No entanto, eles não veem um pouso forçado na economia chinesa. E esperam que os formuladores de políticas administrem uma correção ordenada nos mercados imobiliários.

A administração está trabalhando com uma premissa de produção de aço bruto estável na China em 2022 de cerca de 1 bilhão de tonelada. “Sentimos que eles esperam uma desaceleração na faixa de 5-10% em 2022, não -15-25% como alguns outros agentes de mercado mencionavam”, pontua trecho do relatório.

Para o banco, a Vale está ciente de que os mercados de minério de ferro estão atualmente com excesso de oferta (com estoques portuários na China aumentando, em direção a 160 milhões de toneladas.

Mas eles prevêem que as taxas de execução atuais na produção de aço chinesa ficarão em níveis “mínimos”.