BTG (BPAC11): reabertura dos shoppings tem efeito positivo nas ações

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Aliance (ALSO3), JHSF (JHSF3), BR Malls (BRML3) alteram horário de funcionamento de shoppings

Aos poucos a situação dos shoppings começa a melhorar, com a retomada das reaberturas, especialmente no Rio de Janeiro e São Paulo, segundo o BTG Pactual (BPAC11).

Segundo levantamento feito pelo banco, 233 dos 601 shoppings do país ainda estão fechados, mas as reaberturas estão acontecendo.

“A situação da Covid-19 continua desafiadora no Brasil, mas o cenário tem melhorado à medida que a utilização de leitos de UTI caiu um pouco nas últimas semanas (embora ainda acima de 90% em 17 estados) e as infecções/mortes estão diminuindo (embora o número de mortes seja alto em cerca de 3.000/dia)”, dizem os analistas.

A maioria das autoridades suspendeu as restrições às operações de varejo (mitigando os impactos em shoppings) e agora, segundo o BTG, shoppings listados na Bolsa estão com 93% de sua ABL aberta.

Na semana passada, shoppings reabriram em algumas cidades, mas com horário de funcionamento limitado e menor capacidade máximas, como no Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza (CE), Cuiabá (MT) e Uberlândia (MG).

Efeito positivo nos shoppings listados

Segundo levantamento do BTG, a reabertura teve efeito positivo nos shoppings listados.

A recente reabertura de shoppings (SP, Rio, Fortaleza, Cuiabá e Uberlândia) teve efeitos positivos em todas as empresas cotadas em shoppings.

A Aliansce Sonae (ALSO3) passou a deter 96% da sua ABL aberta (de 43%); BR Malls (BRML3) tem 92%; CCP (CCPR3 ) com 89% de ABL aberta; Iguatemi (IGTA3) tem 100% de seu portfólio aberto; e a JHSF (JHSF3) também tem 100% de sua ABL aberta; e a Multiplan (MULT3) tem 87% do ABL aberta.

A tese dos shoppings, segundo o BTG, permanece intacta: retomada difícil, mas com boa avaliação.

“Nossa visão sobre o setor de shopping centers está intacta: o fluxo de notícias do semestre provavelmente permanecerá difícil (por exemplo, no 1TRI21 os resultados serão fracos), mas a reabertura dos shoppings foi definitivamente uma notícia positiva e a vacinação está acontecendo (12% da população Brasil recebeu a primeira injeção de uma vacina, que deve acelerar nos próximos meses”.

Os analistas mantêm uma visão positiva do setor, uma vez que os shoppings têm se mostrado extremamente resilientes e as avaliações são atraente.