BTG Pactual (BPAC11): Pfizer (PFIZ34) é uma das empresas mais lucrativas do mundo

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

Em relatório, assinado pelo analista Bernardo Carneiro, o BTG Pactual (BPAC11) escreveu que a Pfizer (PFIZ34) se sustenta como uma das companhias mais lucrativas do planeta.

O banco destaca a margem Ebitda acima de 35% e uma margem líquida ao redor de 30%.

Segundo o BTG, o balanço patrimonial da Pfizer é saudável, possuindo uma dívida líquida de US$22,4 bilhões, equivalente a 0,7x o seu lucro operacional medido pelo EBITDA projetado para este ano pelo consenso de mercado.

Grande pagadora de dividendos, mas com valuation “esticado”

A Pfizer é uma grande pagadora de dividendos e compradora de ações, tendo distribuído nos últimos três anos US$ 24,4 bilhões em dividendos, cerca de 64% do lucro líquido nesse período.

Conforme as estimativas do consenso de mercado da Bloomberg, o preço justo da ação da Pfizer oferece um potencial de queda de 3% em 12 meses, o que significa um preço alvo ao redor de R$ 66 para o BDR.

A interpretação do BTG é que parte do mercado acredita que os lucros gerados com a vacina contra o covid-19 serão temporários, o que contrasta com a opinião da diretoria, e assim a ação estaria além dos fundamentos de longo-prazo.

Já na comparação com seus pares, a Pfizer negocia com um pequeno desconto em relação à mediana dos múltiplos projetados pelo consenso para 2022, mas é provável que em anos “normalizados”, como 2023 ou 2024, os múltiplos sejam maiores.

Veja algumas projeções para Pfizer (PFIZ34):

PFIZER

Conheça a Pfizer (PFIZ34)

Essa empresa chamada Pfizer (PFIZ34) é uma multinacional americana que atua no ramo farmacêutico. Dessa maneira, ela tem a sua sede na cidade de Nova York, nos Estados Unidos.

Com uma vasta experiência no setor, a companhia foi fundada no ano de 1849. E foram dois imigrantes alemães que criaram a empresa. Além disso, ela foi uma das pioneiras na produção dos antibióticos.

Contudo, atualmente a Pfizer (PFIZ34) conta com um portfólio de pelo menos 100 produtos. E sua atuação pode ser vista em ao menos 150 países do mundo. Como resultado disso, são 81,9 mil colaboradores e funcionários.

No Brasil a atuação dela foi iniciada em 1952, atuando em categorias sem atendimento. De fato, são 65 anos de atuação no país, buscando ajudar as pessoas. Sua fábrica fica localizada na cidade de São Paulo.

  • Clique aqui para baixar o e-book sobre BDR’s
  • BDRX: conheça o índice de BDRs da bolsa brasileira

O que é a B3 (B3SA3) e como investir através dela?

O ambiente chamado de B3 (B3SA3) é a bolsa de valores do país. Desse modo, todas as negociações de ativos são feitas através dessa companhia. Isso inclui tanto as ações quanto os fundos de investimentos imobiliários.

Nesse sentido, a Pfizer (PFIZ34) possui as suas ações BDRs listadas para todos os brasileiros. De fato, desde outubro de 2020, a compra das BDRs está autorizada a qualquer investidor.

O que aumenta ainda mais as chances deles de conseguirem bons lucros. Já que investir em ações listadas fora do país pode ser uma boa oportunidade atualmente. Para ingressar no mercado financeiro, faça o seguinte:

  • Crie uma conta em uma corretora de valores;
  • Acesse o Home Broker;
  • Faça a emissão das ordens de compra;
  • Finalize a operação.

O que são BDRs e como investir?

De acordo com as mudanças ocorridas em outubro de 2020, qualquer investidor pode adquirir BDRs. Pois a categoria abriu um leque maior ao conceder licença a todos os acionistas brasileiros, sejam eles investidores com mais de R$ 1 milhão em investimentos ou não.

Em resumo,  os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) são papéis que servem para representar ativos estrangeiros. Dessa maneira, a Pfizer (PFIZ34) também está inclusa nesse processo, que pode trazer bons resultados.

Além disso, existem duas categorias diferentes que compõem as BDRs. Temos as que são patrocinadas e as não patrocinadas. Na primeira temos os papéis que são emitidos pela própria empresa detentora da marca.

Enquanto que na segunda, uma outra companhia realiza essa representação. De tal forma que o processo é indireto, não contando com a participação da empresa. Outro ponto importante são os níveis que as dividem, confira:

  • 1: com a sua negociação feita no balcão e sem registro obrigatório na CVM;
  • 2: requer o registro, porém é feito em balcões ou nos pregões;
  • 3: ofertas públicas maiores, sendo muito parecido com o segundo nível.