BTG Pactual (BPAC11) mantém recomendação neutra para Latam

Felipe Moreira
Editor na EuQueroInvestir, cobre temas que vão desde o mercado de ações ao ambiente econômico nacional e internacional.
1

O BTG Pactual (BPAC11) destaca que o plano de reestruturação é um passo importante para a Latam sair do Capítulo 11 (recuperação judicial), contribuindo para a gestão de passivos da companhia e a redução do risco na sua tese de investimentos

No entanto, o banco mantém recomendação neutra para os papéis da Latam e preço-alvo de US$ 1,70, o que implica em potencial de valorização de 41,6% em relação à cotação da última sexta-feira (26).

Segundo relatório, a classificação reflete a maior exposição da operadora aérea ao tráfego internacional e sua recuperação mais lenta em relação ao mercado doméstico.

Com relação ao setor, o BTG avalia que a não consolidação pode ser ligeiramente negativo, especialmente se a nova variante da Covid aumentar a queima de caixa das companhias.

Plano de reestruturação da Latam

A Latam entrou com seu aguardado plano de reorganização na última sexta-feira (26), que inclui uma injeção de capital de US$ 8,2 bilhões em novos fundos por meio de ações, notas conversíveis e dívida.

Em termos de próximas etapas, os procedimentos de votação para o plano da Latam acontecerão em 22 de janeiro. Se os credores não estiverem satisfeitos com o plano da operadora aérea, novas discussões entre credores e planos alternativos podem ser retomadas (incluindo a Azul).

A injeção de US$ 8,2 bilhões na Latam será distribuída da seguinte forma:

  • equity de ~US$ 800 milhões em oferta de ações ordinárias;
  • Notas conversíveis, divididas em 3 classes que totalizam cerca de US$ 4,6 bilhões;
  • Dívida de aproximadamente US$ 500 milhões em nova linha de crédito rotativo, além de US$ 2,3 bilhões em  financiamento total de dívida em dinheiro novo.