BTG (BPAC11): compra da Hello pela BR Malls (BRML3) é um movimento positivo

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Todos Arqiutetura

A BR Malls (BRML3) adquiriu 100% da Helloo (empresa de mídia out-of-home), movimento positivo, apesar de os números da transação não terem sido divulgados, diz o BTG Pactual (BPAC11) em relatório.

Segundo o BTG, a nova aquisição tem como objetivo:

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

  • Aumentar o domínio de seus shoppings (alcançando consumidores por meio de anúncios comerciais em edifícios residenciais onde possui painéis digitais);
  • Fortalecer sua estratégia de mídia ao lado da mídiaMALLS (que gerencia painéis de mídia digital nos 27 shoppings da BR Malls + 44 shoppings de terceiros);
  • Monetizar os dados que a BR Malls está construindo por meio de seu programa de fidelidade.

O valor da transação não foi divulgado e a aquisição da Helloo precisa de mais investimentos para acelerar o crescimento dos painéis digitais da empresa.

Heloo: 4,3 mil painéis em 2 mil edifícios

A Helloo foi fundada em 2016 por Felipe Forjaz (ex-fundador da Elemedia em 2003), com o objetivo de vender anúncios por meio de seus painéis digitais.

Hoje, possui painéis digitais de 4,3k em + 2k edifícios residenciais em 20 cidades, atingindo 800 mil pessoas por dia.

De acordo com o Brasil Journal, a Helloo tem receita run-rate de ~ R$ 25 milhões/ano (CAGR de 58% desde 2017) e será operada por seus sócios fundadores sob uma estrutura separada.

Este movimento aumenta a exposição da BR Malls ao mercado de mídia out of home (8,6% do total de mídia do mercado).

Difícil avaliar fusões e aquisições sem números, mas movimento faz sentido estratégico

A BR Malls não divulgou nenhum número (preço pago, Ebitda gerado pela Helloo, etc.),  tornando impossível analisar o quão relevante/cumulativo é o negócio (mas o BTG acredita que foi uma pequena M&A).

Estrategicamente, é um movimento positivo, reforçando a força da BR Malls no segmento de shoppings & mídia (onde já opera mídia para concorrentes) e poderia representar uma nova avenida de crescimento potencial para a empresa (a gestão tem falado muito sobre o potencial dessa linha de receita).

Assim, o BTG tem uma classificação de compra para BR Malls, negociando a 13x P / FFO 2022E. O preço teto é de R$ 14.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo